Espanhol Português Inglês
Novidade - Cotação Online
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Consumíveis Não Cons. Serviços Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!


Últimas Edições


Veja mais Notícias

Últimas Notícias

20/10/2017
Dia da Massa: Spoleto comemora data nos 356 restaurantes do Brasil
Comemorado em vários países do mundo, 25 de outubro é o Dia da Massa, data que deu início ao 1º congresso Mundial de Pasta, realizado em Roma, em 1995. O prato tornou-se um dos principais na mesa do brasileiro, tanto que ganhou uma data especial para comemorar o seu delicioso sabor.São nos spaghettis, fettuccines e pennes (clássicos da culinária italiana) que a homenagem deste dia recai, em receitas que levam a massa seca como ingrediente principal. Como um legítimo restaurante italiano e a maior rede do gênero no país, o Spoleto presenteia o consumidor no Dia da Massa.Esse ano, na compra de qualquer massa italiana tradicional (penne, penne integrale, spaghetti e fettuccine), o cliente ganhará outro prato no mesmo tamanho. A promoção é válida para todos os 356 restaurantes da rede, enquanto durarem os estoques.Para ajudar na escolha, a chef Andréa da Conceição sugere duas opções. O Spaghetti ao molho bolognesa, um clássico da culinária italiana que leva, molho italiano em sua receita original, ingredientes frescos, carne, temperos, mais seis a oito ingredientes ao gosto do cliente (a partir de R$ 20,90). E a grande novidade do menu o molho pomodoro ? molho à base de tomates 100% italianos, que pode acompanhar qualquer massa tradicional e vem com seis a oito ingredientes. (a partir de R$ 20,90). * O cliente não precisa escolher os mesmos ingredientes e o mesmo molho nos dois pratos. A receita pode ser diferente desde que sejam massas italianas no tamanho tradicional. Dia da Massa & SpoletoO Spoleto é um bom termômetro para medir essa preferência nacional. No posto de maior rede de culinária italiana do país (com 356 restaurantes no Brasil), vende mais de 1 milhão de pratos por mês. Sua fábrica própria localizada em Volta Redonda, estado do Rio de Janeiro, produz ao longo do ano cerca de 1 tonelada de massa tradicional/seca (spaghetti, fettuccine, penne).
[+ detalhes]
19/10/2017
Corredores da Maratona Cidade de Salvador terão noite de massas
Festival será realizado no sábado (21)Tem surpresa boa para os corredores da Maratona Cidade de Salvador, que será realizada no domingo (22). Na véspera da prova, haverá o Festival Solidário de Massas, no Restaurante Taberna, no Clube Espanhol, das 18h30 às 22h.Para participar, é preciso estar inscrito em qualquer modalidade da competição (5km, 10km, 21km, 42km ou 40km por equipe). O voucher para o evento custa R$ 10, valor que será doado para o Asilo São Lázaro.A reserva para o jantar deve ser feita no site sympla.com.br, e as vagas são limitadas. Na entrada do restaurante, é preciso apresentar o voucher impresso, assim como o comprovante de inscrição na maratonaO cardápio contará com duas opções de cortes de massa curta e duas opções de massa comprida, além de quatro tipos de molhos: quatro queijos, bolonhesa, triplo burro e matriciana.Na noite do Festival de Massas, é necessário levar um pacote de leite em pó, que também será doado à instituição social. O asilo presta acolhimento a pessoas acima de 60 anos e em situação de rua ou vulnerabilidade social e atualmente atende a cerca de 80 idosos.A corrida será realizada no domingo (22), com duas largadas: às 5h30 para os inscritos nos 21km e nos 42km; e às 6h30 para os corredores de 5km, 10km e 40km por equipe. Neste último caso, os quatro corredores largarão juntos e correrão 10km cada um, e o tempo dos integrantes será somado para determinar o tempo final. As inscrições estão encerradas.
[+ detalhes]
18/10/2017
RONALDINHO ASSINA LINHA DE VINHOS SOBRE ESPORTISTAS
Craque que defendeu as cores de PSG, Barcelona e Milan lança linha de vinhos em colaboração com a Vinícola Fabio CordellaRonaldinho lançou, em colaboração com a Vinícola Fabio Cordella, sua própria marca de vinhos.A ideia surgiu de uma série da companhia em que recebe assinatura de Sneijder, Buffon e Zamorano.Meu amigo Fabio decidiu fazer uma seleção dos atletas que ele gosta. Nomes que marcaram sua história. É uma homenagem que não imaginava receber. Fazer parte de um projeto maravilhoso como este, sem contar a qualidade inigualável do vinho Primitivo, que é um dos mais premiados no mundo. Com certeza, esta é uma sociedade que satisfará aos mais exigentes conhecedores de vinho, afirmou Ronaldinho.A vinícola de Fabio Cordella criou O vinho dos campeões, batizando cada vinho com nomes de jogadores se simpatizam com eles. O italiano tem em mente formar um time de 11 estrelas. O certo é que o negócio do vinho está muito presente no mundo do futebol. Atletas como Iniesta, Ronaldo ou Pirlo são proprietários de vinícolas.Embora tenha entrado para o seleto clube de atletas aficionados por vinhos, Ronaldinho não será proprietário de uma franquia da vinícola. Ele receberá um percentual da comercialização por ter uma garrafa com seu nome.
[+ detalhes]
17/10/2017
DECO lança app que ajuda a escolher e poupar nos melhores vinhos
No total, a associação dá-lhe 344 sugestões. E ainda lhe mostra que o mesmo vinho pode custar 2? ou 7? dependendo da loja onde o comprar.Apartir de agora, escolher o vinho vai ser muito mais fácil. A Associação de Defesa do Consumidor (DECO) lançou uma aplicação onde faz o teste a mais de 344 vinhos num formato prático, que pode consultar na loja ou no restaurante. A seleção inclui tintos, brancos, rosés e espumantes rosés.Chama-se DECO Vinhos, é gratuita e já está disponível para os sistemas iOs e Android. E além de ficar a saber quanto custam as suas escolhas, também consegue fazer bons negócios.Por exemplo, ao consultar o top 10 de tintos na app, vai descobrir duas opções de vinhos alentejanos com qualidade igual a 84 por cento, mas com preços muito diferentes. Estamos a falar do Terra D?Alter Trincadeira, Aragonez e Syrah 2016, com um preço mínimo de 3,35?, e do Monte da Peceguina 2015, que só encontra a partir de 9,79?.A aplicação também permite comparar entre lojas. Os estudos da associação mostraram que uma garrafa pode custar quase o dobro, consoante o local de compra. O vinho branco Duas Quintas Reserva 2015, por exemplo, esta à venda com preços entre os ? 10,03? e os 16, 99? euros. É uma diferença de 7? pelo mesmo vinho.A Associação de Defesa do Consumidor fez um vídeo que demonstra como é fácil utilizar a nova app.
[+ detalhes]
17/10/2017
Sábado (21) tem feira de vinhos em Casa Forte com mais de 150 rótulos
Neste sábado (21), os amantes de vinho terão uma oportunidade de degustar, em Casa Forte, mais de 150 rótulos importados e selecionados da bebida. A degustação faz parte do Barchef Vineyards, feira que acontece das 15h até às 19h, no jardim do Barchef.A entrada para o evento custa R$ 120,00 com 50% do valor em crédito para compra de vinhos no local, que estarão em condições promocionais exclusivas aos participantes.O Barchef possui uma vinoteca com farta variedade de vinhos importados trazidos de países como Chile, Itália e Portugal, além de vinhedos localizados na África do Sul, Estados Unidos e Australia.SERVIÇOBarchef VineyardsBarchef Casa Forte (Beergarden) ? Av. 17 de agosto, 1893Sábado (21)Das 15h00 às 19h00Ingresso: R$ 120,00 com 50% do valor em crédito para compra de vinhosComo chegar:
[+ detalhes]
13/10/2017
La familia Perrier-Jouët cresce
Na adega de Perrier-Jouët, uma das cinco mais antigas vinícolas da região de Champagne, meditam muito em cada movimento, tanto que durante mais de 50 anos a casa não desenhou uma nova referência. O chefe da caverna Hervé Deschamps, o sétimo produtor de vinhos da empresa, apresentou a sua criatura Blanc de Blancs na quarta-feira passada em Madri. Meu objetivo foi preservar a frescura e a elegância da uva chardonnay após três anos de envelhecimento na vinícola. Em Champagne é muito difícil encontrar novas vinhas de chardonnay, que é a uva rainha da região, então este é um trabalho em que temos que ter paciência. Testamos diferentes assembléias, mas para ver os resultados, temos que esperar três anos, diz Deschamps, que apresentou sua novidade na sociedade em abril passado, em Tóquio. Perrier-Jouët, fundada em 1811 em Épernay pelo casamento de Pierre Nicolas Perrier e Adèle Jouët, é uma das vinícolas mais famosas da região de Champagne e seus vinhos são, como os de Dom Pérignon, sinônimo de luxo . Seus champagnes são servidos em casamentos reais, como Alberto de Monaco e Charlene Wittstock em 2011, não faltam nos Oscars de Los Angeles e apareceram nos filmes como Inglourious Basterds de Quentin Tarantino. Adega de Perrier-Jouët, na região de Champagne. Em 1993, quando cheguei à casa, começamos a refletir sobre o vinho que podíamos criar para celebrar o novo milênio e não o lançamos até agora, e é quando conseguimos uma assembléia que atendeu nossas expectativas e pode garantir uma certa produção, explica o enólogo francês. O Blanc de Blancs foi lançado em 10 países em quantidades muito limitadas e uma garrafa custa 70 euros. Desde a sua entrada para a adega, a Deschamps criou várias referências, mas apenas para ocasiões especiais, não foram produtos elaborados de forma contínua. No novo corte, não só o nome é branco. "Possui aromas de flores brancas, como magnólia ou acácia, frutas brancas como pera e paraguai, e finalmente cítricos, toranja e limão. é a assinatura da uva chardonnay , explica o enólogo, que adiciona a este novo champanhe 15% de vinhos de reserva, o que permitirá oferecer uma qualidade homogênea em sucessivas colheitas de uva.
[+ detalhes]


Produtos Prontos

EMPRESA EM DESTAQUE


Veja mais Artigos

Artigos

20/10/2017
SP consumiu 1,24 mi toneladas de macarrão em 2016, aponta pesquisa
Para comemorar o Dia Mundial do Macarrão, celebrado em 25 de outubro, a Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi) divulgou um estudo realizado pela Kantar WorldPanel a respeito dos hábitos de consumo de macarrão no País. De acordo com a pesquisa, o estado de São Paulo é responsável por 20,5% do volume total de macarrões (1,24 milhão de toneladas) consumidos em 2016, o que corresponde a 252,9 mil toneladas.Das 130,2 mil toneladas consumidas em 2016 na Grande São Paulo, 60% foram do tipo espaguete; em segundo lugar ficou o fusilli, com 24%, seguido pelo penne, com 8%. No interior do Estado, das 122,7 mil toneladas, 47,7% foram de espaguete, 26% de fusilli e 2,2% lasanha.O estudo analisou, durante o último ano, uma mostra de 11,3 mil lares que retratam um universo de 53 milhões de famílias espalhadas por sete macrorregiões. No ranking nacional de consumo aparecem em primeiro lugar o Norte e Nordeste (37%), seguidos do Sul, Leste e interior do Rio de Janeiro (13%), grande São Paulo (10,5%), Interior de São Paulo (10%), grande Rio de Janeiro (8,2%) e, por fim, Centro-Oeste (6,2%).?Apesar de o macarrão estar presente em 99,5% dos lares brasileiros, ainda existe uma barreira cultural que tende a restringir seu consumo aos finais de semana, à macarronada de domingo com a família?, afirma Claudio Zanão, presidente-executivo da Abimapi.Segundo a pesquisa, na Grande São Paulo o macarrão à bolonhesa é o tipo preparado em 78% das ocasiões em que as massas são servidas e 11% ao modo alho e óleo. ?Mas as massas são muito versáteis, podem ser preparadas de diversas maneiras e complementadas com vários ingredientes, além de serem práticas e baratas. O macarrão é um produto que tem todas as condições de ocupar lugar na mesa do brasileiro diariamente?, pontua Zanão.Sobre o Dia Mundial do MacarrãoO Dia Mundial do Macarrão foi instituído em 25 de outubro de 1995 em Roma, durante o I World Pasta Congress (Congresso Mundial de Macarrão), que reuniu os principais fabricantes em todo o mundo. O Brasil é o 3º maior produtor e consumidor mundial. Em 2016, o mercado brasileiro de massas alimentícias faturou mais de R$ 8,7 bilhões e foram consumidos quase 1,2 milhão de tonelada. Nosso consumo per capita é de 6,02 kg por ano.No próximo dia 25 (quarta-feira), a indústria mundial de massas alimentícias se reunirá pela primeira vez em São Paulo (SP) para a celebração do World Pasta Day (WPD). Os destaques do evento serão a assinatura de um consenso científico sobre os benefícios nutricionais do macarrão e a presença do prefeito da cidade de São Paulo João Dória Jr para o recebimento da doação de 20 toneladas do alimento para as creches municipais.
[+ detalhes]
19/10/2017
Rua do Espinheiro ganha nova pizzaria nesta sexta (20)
Conhecida de muitos moradores da Zona Norte pela unidade do Garage Food Trucks, um dos primeiros food parks do Recife, a Hasta La Pizza está se expandindo e abre as portas, nesta sexta-feira (20), da sua primeira unidade fixa. A casa da Rua do Espinheiro vai ter um novo cardápio, que reúne mais de 40 sabores com opções tradicionais e até pizzas veganas.A pizzaria terá uma decoração vintage assinada pela designer Lu Maia e menu elaborado pelo empresário Marcelo Carneiro Leão em parceria com o chef argentino Marcelo Ludeña. Entre os destaques, sabores inusitados que a casa oferece como queijo parma e geleia de pimenta e queijo brie com geleia de damasco.Além disso, as pizzas veganas da Pizzalize agora não serão tão exclusivas, porque a nova casa tratá também alternativas veganas. Das opções oferecidas, os destaques vão para a maçã verde caramelizada com gorgonzola, compota de berinjela e shitake.Resolvemos nos especializar ainda mais e agregar um diferencial, renovando o cardápio e trazendo sabores exclusivos que a região ainda não conhece, destaca o empresário Marcelo Carneiro Leão. Com administração familiar, além do ponto fixo, a Hasta La Pizza possui trailers nos food parks: Nas Ubaias, Villa Cardeal, Garage Food Trucks e no estacionamento do Shopping Recife.Inauguração Hasta La PizzaSexta (20), às 18hRua do Espinheiro, 533, EspinheiroTerça a quinta, das 18h às 23h.Sexta, sábado 18h às 0hDomingo, das 18h às 23h.
[+ detalhes]
18/10/2017
Chef Luiz Filipe, do Evvai, o próximo Salvatore Loi
Anote esse nome: chef Luiz Filipe de Azevedo e Souza. Com apenas 28 anos, é ele quem comanda a cozinha e arranca suspiros que se ouvem pelo salão do Evvai, restaurante italiano aberto em julho, em São Paulo, e responsável por servir pratos que chamam atenção tanto pela aparência quanto pelo sabor nada monótono. Dada a cozinha autoral que tem praticado com muita técnica e também criatividade, apesar da pouca idade, o chef Luiz Filipe revelou-se o ponto fora do curva. Um talento lapidado pelo grande chef sardenho Salvatore Loi, Luiz tem tudo para ser o? próximo Loi. Loi, para quem ainda não o conhece, é provavelmente o melhor chef italiano da atualidade do Brasil. Cozinheiro daqueles que causam comoção nos paladares ávidos por pratos de alta qualidade e exímia execução. Loi passou anos à frente das caçarolas do Fasano antes de partir para carreira solo. Hoje, ele está à frente do imperdível Modern Mamma Osteria, que vive com filas na porta e encanta com suas foccacias e pastas. Dentre eles, o irresistível nhoque de espinafre com recheio de queijo.Como todo mestre, Loi teve um assistente que o acompanhou por anos, da pia à boca do fogão. E quem foi seu aprendiz? Luiz Filipe, hoje o chef do Evvai. Indiscutivelmente talentoso e promissor, o chef Luiz Filipe, formado em Gastronomia pela Anhembi Morumbi e ICC de Nova York, concedeu a entrevista abaixo ao PRAZERICES. Leia os principais trechos: PRIMEIRO EMPREGOSou formado em Gastronomia pela Anhembi Morumbi e pelo ICC de Nova York. Meu primeiro emprego na área foi ao lado do Loi, no Fasano. Depois eu trabalhei com ele no Girarrosto, Mozza Bar, Ristorantino e Salvatore Loi. No Fasano comecei como estagiário, depois passei para pia na parte da manhã e auxiliava na produção e açougue, garde manger em logo depois da saída dele, passei pelo fogão. No Girarrosto trabalhava nas carnes. Minha primeira posição de gestão foi no Mozza Bar, como sub-chef. Depois veio o Ristorantino e Salvatore Loi. Ele me proporcionou todas as plataformas possíveis para o meu aprendizado. Conheci a cultura italiana e me aproximei dela através dele. O Loi me ensinou todas as bases da cozinha clássica italiana, que ele domina perfeitamente. COZINHA AUTORALExiste muita licença poética na minha cozinha. Eu não sou italiano. Sou um brasileiro apaixonado pela cozinha italiana. De certa forma, acabei quebrando certas leis da cozinha italiana para proporcionar outros resultados. Me dou o luxo de usar ingredientes locais, não usuais, sempre inspirado na tradição e base que aprendi com o Loi. Eu procuro muito explorar os contrastes. Temperaturas diferentes, amargos e ácidos, texturas. A comida não pode ser entediante na boca e tem que transgredir apenas o sensorial do sabor.ENTENDA O EVVAIO Evvai foi concebido para atender diversos públicos. O cardápio possui apenas receitas autorais. Da já famosa (e deliciosa) polenta taragna com ovo mollet defumado e bacalhau até o belíssimo risotto al nero. Algumas bem complexas em sabor e outras bem simples. Ainda que com personalidade, tenho uma massa com molho de tomate no cardápio. Não existe ao brasileiro um prato tão confortável ao paladar quanto uma massa ao molho de tomate. A proposta em si é aproximar o cliente do fine dining com uma abordagem menos complicada.UM DELÍRIO DE ALHO PORÓAcho que o alho poró confitado consegue transmitir bastante do que eu acredito. Aparentemente simples, é extremamente complexo em sabor e técnica. Partindo apenas do vegetal, juntei dois resultados extremamente divergentes entre si em um prato só. A textura do legume confitado e macio pelo longo cozimento e baixa temperatura acrescido de extrato do legume queimado na brasa. O extrato do legume, além das notas defumadas da grelha, traz certa acidez.SOBREMESAS ITALIANAS REVISTADASA panacotta que sirva vem com diferentes géis feitos a partir do extrato de variadas frutas por cima. A ideia é que cada garfada traga algo diferente. A ideia é ter vários pontos de sabores distintos. Já a zeppole, doce típico italiano, bem comum em Nápoles e tradicionalmente servido no dia de San Giuseppe, com creme de confeiteiro e amarena, foi revisitado na cozinha do Evvai. Parti então da massa, que é a alma da receita, e fui buscar outro sabor. Chegamos ao chocolate e avelã.CARTA DE DRINKSSe chegar ao Evvai sem reserva, um conselho é aproveitar a espera para experimentar um dos drinks do bartender Jean Da´laqua, a exemplo dos Negroni e Americano da foto abaixo.EVVAI ? Rua Joaquim Antunes, 108, São Paulo, 11-3062-1160. É recomendado fazer reserva. Horários: de segunda a quinta, das 12h às 15h e das 19h à meia-noite; sexta-feira das 12h às 15h e das 19h à 01h; sábado das 12h às 16h e das 19h à 01h; domingo das 12h às 17h. Mais informações pelo site.
[+ detalhes]
16/10/2017
Sabor italiano em mãos madeirenses
Mãos madeirenses que compõem verdadeiras receitas italianas é o que a empresa Supremo Guloso, Unipessoal, Lda decidiu fazer através da criação do Ratatouille - Ristorante & Pizzeria, localizado no Funchal.Marta Andrade é a mentora do negócio que tem quase três anos de existência, no qual depositou todos conhecimentos que absorveu quando trabalhou no ramo de hotelaria durante 9 anos.Com o microcrédito do Millennium BCP aprovado, a empreendedora conseguiu avançar com a ideia e foi à procura do espaço ideal para o projecto que idealizava: um restaurante de comida típica italiana. Fizemos um estudo de mercado e encontrámos este lugar por mero acaso, vimos o espaço e achámos apropriado para aquilo que pretendíamos porque também tinha uma renda acessível, conta. O serviço de financiamento do banco rondou os 16 mil euros, no entanto, a empresária refere que o investimento para as obras do espaço rondou os 120 mil euros que foram aplicados faseadamente, atendendo a que as remodelações foram feitas à medida que a empresa ia obtendo alguma disponibilidade financeira.Antes, a rua era morta. O Ratatouille voltou a pôr a Rua da Ponta Nova no? mapa?. Agora, rua tem um movimento incomparável em relação ao que era há três anos.RatatouilleA escolha do nome do restaurante foi um dos processos mais marcantes da empresa, isto porque partiu da ideia de uma criança, o filho de Marta. Tínhamos tudo: o espaço, o conceito, os fornecedores italianos, mas não tínhamos nome para dar ao restaurante. E, durante uma das muitas noites em que estive acordada para projectar tudo isto, o meu filho pergunta: Por que não chamamos de Ratatouille?. Então, fiz uma pesquisa intensa na Internet e descobri a verdadeira origem deste nome. Acabei por descobrir que tem uma origem grega e depois passa para Itália, em que é transformado num prato típico. Depois, só em França é que houve o bom por causa do filme de animação.Além disso, o nome também foi aceite devido ao próprio prato típico italiano Ratatouille, uma refeição que foi naturalmente inserida no menu. É um prato que dá muito trabalho a fazer, o preço que a gente vende esse prato hoje em dia não paga a mão de obra necessária para o fazer. É muito requintando, mas tem apenas um custo de 6,90 euros.Uma das nossas opções foi nós próprios formarmos. Buscamos pessoas que já tenham uma base. Na nossa sala, todas as pessoas foram formadas pela Marta. Todas as bases foram dadas por ela, são 9 anos de experiência na hotelaria.Actualmente, o restaurante conta com 10 funcionários, mas no início abriu as portas ao público apenas com duas: a empresária, que atendia os clientes, e o chef de cozinha Rui Rodrigues. Mas, duas semanas depois, houve a necessidade de se ter mais staff e contratamos mais duas pessoas, uma para a sala e outra para a cozinha. Neste momento, estamos novamente a recrutar para duas pessoas para a sala e uma para a cozinha, vamos passar para 13 pessoas a nível de staff, desvenda.Com um horário de funcionamento das 10 às 23 horas, sem interrupções, o Ratatouille apresenta aos clientes um espaço com 190 metros quadrados, divididos em restaurante e esplanada coberta, que também está decorada com uma pequena horta com ervas aromáticas e algumas hortaliças. 90% dos produtos que trabalhamos são provenientes de Itália?, diz Marta.A exigência na qualidade dos produtos repercute-se no tipo de cliente que chega ao espaço. Temos um tipo de clientes de classe média/alta, que acabam por ser mais exigentes e então o nosso segredo foi estar sempre a evoluir, tanto na cozinha como na decoração, no serviço de sala, nos vinhos. Fomos aprendendo com os nossos fornecedores, clientes e tentamos sempre evoluir. O tipo de serviço de sala que o cliente tem cá não é um serviço de um restaurante italiano, é mais que isso. É o cuidado em sentar o cliente, é perguntar se está tudo o bem, é o degustar do vinho, é um tipo de serviço que não se encontra num restaurante italiano comum. É por isso que o nosso cliente não olha ao preço mas sim à qualidade daquilo que come e do atendimento.As entregas ao domicílio são limitadas apenas à zona do Funchal por uma simples razão: Não posso deixar que o cliente tenha a primeira experiência com uma pizza nossa que esteja fria. Se pagamos balúrdios pelos ingredientes, não podemos deixar que uma entrega que atrase meia hora acabe por chegar fria e não satisfaça o cliente. Então optámos por fazer só na zona do Funchal.Frescura é um dos mandamentos deste espaço de restauração. Não trabalhamos com enlatados, tudo o que temos é fresco e temos muito cuidado com a saúde dos nossos clientes. Como tal, substituímos os óleos alimentares por azeite, sublinha Marta Andrade. E para dar um gosto ainda mais saboroso à comida, a equipa dispõe de vários produtos da pequena horta que oferece produtos que nem sempre os fornecedores possuem durante o ano todo. Por exemplo, a rúcula no Inverno é muito difícil de conseguir. E como tenho a minha própria plantação, guardo-a para esta altura. Isto acaba por ser uma boa poupança, além de que tudo o que temos na horta é biológico, não tem qualquer tipo de químicos. Só leva água e sol e deixamos crescer, esclarece.O cuidado com a qualidade dos produtos e confecção dos pratos é trabalhado permanentemente. O mais recente passo dado pelo restaurante foi a contratação do chef Avelino Freitas, que irá intervir na elaboração de um novo menu de refeições, já no final deste mês. Decidimos mudar de menu porque os nossos clientes querem mais e é aqui que entra a parte da evolução. Temos de ser mais e melhores todos os anos que passam. Posso dizer que o novo menu vai dar uma grande reviravolta ao nosso espaço, revela a empresária, salvaguardando os pratos que deverão sofrer alterações. O conceito italiano continuará presente, no entanto, será mais sofisticado. É nesse sentido que vamos apostar, sempre com produtos cada vez mais frescos, com mais qualidade, com pratos inovadores. Ainda vamos testar alguns pratos e algumas sobremesas muito inovadoras. O nosso objectivo é ser diferente dos outros e está a dar certo.
[+ detalhes]
16/10/2017
Startup capta US$ 48 milhões para automatizar a construção de? pizzas!
Empresa que automatiza produção de pizzas planeja expandir a área de atuação e CEO deseja no futuro ser a ?Amazon da comida?Em uma rodada de investimentos da série B, a Zume captou US$48 milhões que segundo a fundadora e CEO Julia Collins foi fechada para investir em novas contratações e para crescer. Esse dinheiro permite que a empresa, que faz um robô pizzaiolo, cresça.A empresa que automatiza o processo de produção de pizza planeja no futuro ser a ?Amazon da comida? e permitir que as pessoas foquem em criar novas receitas e realizar atividades mais criativas, enquanto os robôs fazem a parte chata e repetitiva.A companhia que já atua em partes da baía de São Francisco, com este novo investimento também deve expandir e cobrir o restante da área ? todo o Vale do Silício. A nova avaliação da Zume não foi revelada após essa rodada.Acreditamos que a startup leva o espírito do Vale para o mundo! Automatizar trabalhos manuais é um excelente jeito de crescer a economia. Esse tipo de inovação só podia surgir no Vale, onde a mentalidade é justamente essa.
[+ detalhes]
10/10/2017
Cidade recebe evento de Gastronomia Italiana
Uma pizza ou quem sabe um bom espaguete, pratos tradicionais na Itália, mas que já se tornaram comuns em terras brasileiras. Com o intuito de buscar um resgate da culinária italiana, bem como de suas manifestações culturais, acontece em São João del-Rei, o 2º Festival de Gastronomia Italiana ? Colônia Viva, que começa na próxima quinta-feira, 12, e segue até o domingo,15. O evento que acontecerá no Aeroporto Municipal, contará com a presença de chefs de destaque em âmbito nacional como Mário Tacconi, Felipe Leroy, Martinho Caetano e Renâ Souza. A programação contemplará ainda, oficinas, feira italiana com pratos típicos do país e apresentações musicais. Há espaço também para as artes plásticas, onde o artista italiano Guido Boletti, irá realizar nos dias, a exposição intitulada Nel Blu Dipinto di Blu, cuja inspiração foram as canções compostas pelo músico também italiano, Domenico Modugno.De acordo com um dos organizadores, Ronildo Oliveira, a intenção é que o festival seja inserido no calendário cultural de eventos da cidade, fortalecendo também a identidade do povo italiano que chegou em São João no ano de 1888. O evento visa reforçar a importância dos imigrantes italianos como construtores de uma história. Promover a interação gastronômica e cultural da cidade. Assim como divulgar o roteiro agroturístico Colônia Viva, que inclui as propriedades rurais típicas das colônias: Felizardo, Recondengo, Marçal, Giarola e Bengo não somente em âmbito local, mas nacional. Ainda segundo Oliveira, na 1ª edição que aconteceu em 2015, o público estimado foi de 5 mil pessoas, e a expectativa é que nesse ano o número seja ainda mais expressivo.ProgramaçãoNa quinta-feira, 12, as atividades têm início às 9h, com a oficina de Boas práticas de fabricação e manipulação de alimentos, que será ministrada pela chef Érika Timponi. Às 10h, André Gonzaga será o responsável pela oficina de Cerveja Artesanal. O público poderá prestigiar a partir das 11h, a feira italiana, que contará com os produtos típicos da culinária do país europeu, como massas, pizzas e vinhos. Já à noite, às 20h, tem início a apresentação da banda Sinfônica do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos.Na sexta-feira,13, começa às 9h, a oficina de Sustentabilidade e reaproveitamento de alimentos, apresentada por Stelamare Ferreira. Às 10h, Aline Timponi irá transmitir seus conhecimentos culinários na oficina Brigadeiros de abóbora, café e cachaça. No período da tarde haverá o concurso de ?Melhor receita de pizza?, às 13h, onde o preparo acontecerá na presença de um júri técnico que escolherá a melhor receita e o três primeiros colocados irão conquistar troféus. A partir das 17h, os presentes poderão degustar o melhor da comida italiana. Às 20h, tem início o show da banda são-joanense Clube da Seresta.No sábado, 14, haverá as duas últimas oficinas que são as de Plantas alimentícias não convencionais, às 9h, com Cristina Schittini e a de Pizzas Clássicas, às 10h, com o chef Martinho Caetano, seguida pela feira italiana, às 11h. Já as apresentações musicais ficam à cargo da Banda Salesiana meninos e meninas do Dom Bosco, às 18h, e com a banda Magnata?s Show que sobe ao palco às 20h.No domingo, dia de encerramento do evento, a programação começa às 9h com a Feira Italiana e, às 17h, tem a apresentação do espetáculo de dança ?Tarantella Folclórica? com a Cia. de dança Sabrina Margotti. A tarantela é um ícone da cultura da Itália, caracterizada por ser uma dança festiva e animada.InscriçõesAs oficinas são gratuitas e possuem 30 vagas cada uma. As inscrições podem ser feitas até a quarta-feira,11, através do e-mail vertentesculturaleventos@gmail.com, onde devem ser informados o nome da oficina almejada, nome completo e CPF.
[+ detalhes]


DESEJA RECEBER NOSSA NEWSLETTER?
DIGITE SEU E-MAIL ABAIXO E CADASTRE-SE




Lançamentos

Telefone:

+55 11 5524-6931

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/Revista-Pizzas-Massas

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001
script>