Espanhol Português Inglês
Novidade - Cotação Online
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Consumíveis Não Cons. Serviços Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!


Últimas Edições


Veja mais Notícias

Últimas Notícias

15/12/2017
La industria de vino Argentino espera recuperarse este próximo año
La industria argentina del vino confía en recuperar mercados en el corto y mediano plazo por las malas cosechas en el hemisferio norte y por las reformas estructurales que darán mayor competitividad a la cadena de valor sectorial, según previsiones de la Corporación Vitivinícola Argentina (Coviar).Estas previsiones de recuperación surgen luego de dos años de pérdidas de cuotas de mercado, tanto por la caída del consumo interno como en las ventas al exterior."Somos optimistas en el corto plazo por las perspectivas de escasez vínica en el mundo debido a las malas cosechas en el Hemisferio Norte y en el mediano plazo por reformas estructurales que le devuelvan competitividad a la cadena", aseguran desde la Coviar.De acuerdo con datos del Observatorio Vitivinícola Argentino la industria local cuenta con una superficie cultivada de 239.000 hectáreas, repartidas desde Jujuy a Santa Cruz, con preponderancia en Mendoza y San Juan.
[+ detalhes]
15/12/2017
Rede de atacado lança promoção de vinhos brasileiros e importados com 50% de desconto
A rede atacadista Makro realiza descontos de 50% na compra de vinhos hoje (sexta-feira, 15). Para obter a oferta, o cliente deve comprar duas garrafas do mesmo vinho, na segunda, o consumidor paga a metade do preço.O Makro informou que para a ação estão sendo disponibilizadas mais de 2 milhões de caixas de vinhos. Na campanha, estão participando marcas brasileiras, portuguesas, norte-americanas, argentinas, italianas, chilenas e espanholas.Nas ofertas de vinho para a campanha, destacam-se o português Zé do Telhado por R$ 24,90 e o Lambursco Cella por R$ 29,90. Os interessados podem conferir as ofertas em uma das lojas do Makro ou no site da rede.
[+ detalhes]
14/12/2017
Comissão dos Vinhos Verdes e ASAE celebram protocolo para defesa do produto
A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) e a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) assinaram ontem (13), no Porto, um protocolo para vigiar o cumprimento da lei na produção e comercialização do produto.Em colaboração no terreno há já três anos, as duas instituições optaram por dar "uma roupagem institucional", conforme classificou o inspetor-geral da ASAE, João Gaspar, transformando a colaboração num protocolo válido por um ano.Para o presidente da comissão, Manuel Pinheiro o documento assinado tem dois objetivos: "gerar valor para os agricultores da região", explicando que este vinho é único no mundo e "produzido apenas com as uvas dos cerca de 18 mil agricultores da região" e também "dar segurança no consumidor"."O vinho verde é garantido por um selo de origem e o consumidor deve poder ter a certeza que o vinho verde é proveniente dessa região", que se estende por todo o noroeste de Portugal, na zona tradicionalmente conhecida como Entre-Douro-e-Minho, acrescentou.Para Manuel Pinheiro, a articulação entre a CVRVV e a ASAE permite juntar duas vocações diferentes, "a de certificar o produto e a ASAE a garantir o cumprimento da lei, dentro do que são as regras de produção e de origem".Elogiando o poder passar a "trabalhar em conjunto de uma forma mais estruturada" do que aquela que vinha sendo feita, o presidente da comissão citou a "partilha de informação, seja na criação de equipas conjuntas de trabalho, e as ações de formação, para conhecer melhor o funcionamento do negócio, incentivando ainda mais os agentes a cumprirem a lei" como as mais-valias do acordo alcançado.Manuel Pinheiro lembrou ser o "vinho um produto muito ligado ao território, que gera riqueza e postos de trabalho em 48 concelhos da região demarcada", invocando a lei quando diz "que a riqueza deve ser investida na região, através do pagamento das uvas aos produtores".Para o inspetor-geral da ASAE, tanto o vinho como o azeite "têm sido matéria de preocupação e de atuação daquela entidade ao longo dos anos em termos de inspeção", assumindo disponibilidade para "assegurar a qualidade do produto, a leal concorrência dos operadores e, consequentemente, a defesa do consumidor"."Em 2014 criamos brigadas específicas para o turismo, prevendo que podia vir por aí algum 'bom' turístico como, aliás, se veio a verificar, ultrapassando até nossas expectativas. Em 2017 criamos brigadas específicas para os vinhos, prevendo que vá ser cada vez mais um produto de valor econômico no mercado nacional e internacional pelo que interessa acautelar a sua autenticidade", disse.O protocolo é válido por um ano e a desejada pela ASAE "otimização dos meios verifica-se quer a nível laboratorial, como também a nível das sinergias e troca de experiências", elencou o inspetor-geral, vincando que a "ASAE tem também um laboratório de bebidas vitivinícolas, pelo que poderá haver um interface interessante com a comissão"."A experiência anterior ganha agora uma roupagem institucional e vai ter, certamente, nota positiva ao longo do ano", disse João Gaspar, enquanto o presidente da comissão Manuel Pinheiro argumentou que, para a região demarcada, o "protocolo com a ASAE é uma vitória para dar resposta a uma necessidade de controle', dando como exemplo disso as castas Loureiro e Alvarinho, cuja "notoriedade" obriga a cada vez mais este aconteça.
[+ detalhes]
14/12/2017
Nesta garrafeira prova-se o que é vendido
Vinhos de várias regiões do país, chás que misturam sabores, geleias caseiras, massas italianas. Esta loja combina bebidas e comidas em cabazes e presentes à medida dos clientes (e das carteiras).Distribuidor de vinhos durante mais de 40 anos, José Silva não hesitou na hora de mudar de rumo: abriu uma garrafeira em São João da Madeira, que não tardou em crescer para acolher também produtos ?gourmet? e artigos para decoração. Dez anos depois, a garrafeira Copo D´Uva abriu portas no Porto, no quarteirão de Miguel Bombarda, com o mesmo conceito, mas, mais espaço. Esta nova loja portuense tem uma esplanada nas traseiras, onde se pode degustar o que se vende lá dentro, com tábuas de queijos e enchidos e vinho a copo a sair ao longo de todo o dia.Na loja, uma das paredes está totalmente preenchida por vinhos portugueses, vinhos do porto, gins, vodkas, whiskies e brandies. E se não encontrar o que procura na loja, José Silva compromete-se a procurar esse tal vinho especial de uma determinada colheita. "Há anos difíceis de encontrar no mercado, mas vamos à procura. Estamos preparados para qualquer tipo de cliente", diz. Os preços são para todas as carteiras, com garrafas dos 2 aos 400 euros.A garrafeira Copo D?UvaNa Copo D?Uva, pode-se ainda criar cabazes de produtos para oferecer e há até alguns já preparados para prendas. Conjugam delícias como massas italianas, compotas portuguesas de fabrico artesanal, marmelada de mirtilo e de figo seco, conservas de peixes, azeites, vinagres balsâmicos, sal vermelho do Havai, biscoitos caseiros, sabonetes, cerâmica nacional, decantadores, queijeiras, serviços de chá, chocolates italianos e ainda peças de artesanato.Além dos vinhos, a loja tem chás orientais de várias composições. O chá branco dos Himalaias leva pedaços de ananás caramelizado, milho e folhas de caril. O chá de açaí com canela mistura tangerina laminada e botões de rosa. "É a loja das tentações", resume José Silva, que quis que os clientes pensassem na loja como um bom lugar para comprar prendas. A filha Ana, que é arquiteta paisagista, juntou-se ao pai, tornando este negócio uma aposta familiar.
[+ detalhes]
13/12/2017
"Joanne Trattoria": Lady Gaga deverá lançar linha de vinhos
Musicalmente, a era "Joanne" pode estar no seu finalzinho, mas Lady Gaga irá homenagear mais uma vez a sua tia. Além de tatuagem, restaurante e de seu mais recente álbum, Gaga agora planeja lançar uma linha de vinhos chamada Joanne Trattoria.O nome, que também é o nome do restaurante de sua família em Nova York, foi confirmado por representantes de Gaga, que entraram com o pedido dos direitos dos nomes "Joanne Trattoria Vino Bianco" e "Joanne Trattoria Vino Rossa".Além de vinhos, segundo o pedido de direitos, serão produzidos coquetéis preparados com vinho e até refrigeradores de vinho.
[+ detalhes]
13/12/2017
Papi & Lobster: lavagante e mais de 20 pizzas no novo italiano de Lisboa
As massas e as combinações do novo restaurante de Alcântara foram criadas por Luciano Passeri, que já foi considerado o melhor pizzaiolo do mundo.Na pizza redonda ou retangular servida em tábua com 50 centímetros por 25. É a escolha que tem de fazer assim que chegar ao novo restaurante italiano de Lisboa. Chama-se Papi & Lobster, abriu em Alcântara, e tem muitas sugestões criadas por Luciano Passeri, considerado em 2005 o melhor pizzaiolo do mundo.Além das pizzas romanas não podiam faltar os pratos de pasta e os de lavagante (lobster em inlgês) que também dá nome ao novo restaurante. Uma pizza campeã não podia ser simples. A massa junta farinhas de trigo, integral e de arroz, sal, fermento natural e azeite extra virgem. Uma das sugestões que está na carta é a pizza Mamilù, com que Luciano Passeri, venceu o concurso mundial.Custa 12? e junta creme de abóbora, gorgonzola, bacon, mozzarella, parmesão e tomate marinado. A pizza Alcântara, com tomate, burrata e lavagante (12,50?), a Bufala, com tomate cherry, mozzarella e manjericão (7?), a Livornese, com carpaccio de bacalhau, mozzarella, tomate seco e azeitonas (8?), e Annarella, a pizza frita que vai ao forno com molho de tomate, tomate cherry e mozzarella (10,50?), são outras das sugestões do novo Papi & Lobster.A carta de pizzas tem mais de 20 opções. Para começar, há sopas de tomate e de grão de bico (desde 5?), saladas caprese com pão focaccia, ou tapas com salada de polvo (6?) ou salmão marinado com citrinos (6?). Em vez das pizzas, se preferir tem lasanha, cannelloni, gnocchi de batata, ou linguine com queijo e pimenta (desde 9?).E com o nome Lobster tinha de existir no menu uma parte só com opções de lavagante. Pode escolher meio lavagante (14,50?) ou inteiro (23,50?) com ravioli, linguini, gnochi, tagliatelle ou spaghetti. Depois tem ainda pratos mais compostos, como o lavagante grelhado no carvão, o com tomate, cebola roxa e molho de lima ou o gratinado com manteiga de ervas (23,50?).Da equipe fazem também parte Giorgio Rattini, responsável pelas massas e que passou nos restaurantes Del Cambio e Brutti di Mare, em Itália, e ainda Rocco Costanzo, o gerente e sommelier. O novo Papi & Lobster tem duas salas e capacidade para 40 pessoas. O objetivo é abrir mais espaços da marca em Portugal durante o próximo ano.
[+ detalhes]


Produtos Prontos

EMPRESA EM DESTAQUE


Veja mais Artigos

Artigos

05/12/2018
Harald Chocolates é reconhecida pela Excelência no Atendimento e cresce 20 pontos percentuais em share
Especialização da equipe de atendimento e cozinha experimental são essenciais para aproximação com consumidorSão Paulo, 05 de dezembro de 2017 - Mais do que uma equipe de atendimento, um time de especialistas em chocolate. Essa foi a base da estratégia responsável por fazer a Harald Chocolates fabricante especializada em soluções e ingredientes para a fabricação de bolos, trufas e outros doces conquistar um aumento de 20 pontos percentuais de share no mercado entre a Páscoa de 2016 e 2017. E ainda ser a vencedora na categoria Atendimento Integrado do XVII PrêmioABT, premiação realizada pela Garrido Marketing e do IBMR - Instituto Brasileiro de Marketing de Relacionamento, que valoriza as melhores práticas de relacionamento com o cliente.Case de sucessoEm um momento de crise econômica, a Harald Chocolates viu na aproximação com o consumidor uma maneira de melhorar suas vendas e aumentar sua participação no mercado. Para isso, além do tradicional serviço de atendimento ao consumidor via telefone, foram incorporados novos canais de comunicação, como o WhatsApp e os Plantões de Atendimento. A empresa já estava presente nas redes sociais, mas com pouca participação do público.Para melhorar a percepção que os clientes tinham sobre a marca e aumentar sua fidelidade foi criado um programa de especialização das equipes de atendimento em diferentes etapas em conjunto com a empresa SC Serviços ao Consumidor. Na estratégia, foi adotada a Cozinha Experimental, para testar receitas, desenvolver novas técnicas e experimentos culinários. A partir disso, a equipe de atendimento foi treinada para aprender sobre o uso dos produtos da empresa, novas receitas e as técnicas culinárias essenciais. Com os conhecimentos adquiridos, eles passaram a fazer parte do Programa de Apoio Técnico, que ensina e esclarece as dúvidas mais frequentes dos consumidores.Houve uma maior aproximação com o consumidor, através da escuta ativa, consulta regular e adequação da comunicação às necessidades dos clientes. Toda a informação recolhida passou a ser aproveitada em novos formatos, como posts de Facebook, dicas presentes nas embalagens dos produtos e aulas na cozinha experimental.Além dos novos meios de comunicação, o 0800 da empresa foi reformulado e, para representar o novo momento no relacionamento com seus clientes, o SAC recebeu um novo nome e passou a ser chamado de Casa do Consumidor. Estamos muito felizes com o resultado do Prêmio e também com a nossa participação no mercado brasileiro, afirma a Gerente de Marketing da Harald Chocolates, Sheila Mattos.Mais de 18 milhões de pessoas impactadasCom isso, a Harald conseguiu mais de 20 pontos percentuais em share no mercado de coberturas entre a Páscoa de 2016 e a de 2017, segundo a KantarWorldpanel. Houve também um aumento de 30% nas menções positivas da marca nas redes sociais. O resultado foi possível com um significativo aumento dos elogios e diminuição de reclamações. No Facebook, houve um crescimento de 1.490% no alcance e de 1.300% no envolvimento da página. Desde o início do projeto, foram mais de 18 milhões de pessoas impactadas pelos conteúdos da Harald, número equivalente à população do Chile.XVII PrêmioABTO evento de premiação aconteceu no dia 23 de novembro e contou com a participação das maiores lideranças do atendimento e relacionamento do Brasil. O PrêmioABT tem como objetivos identificar, reconhecer, valorizar e disseminar as melhores práticas, desenvolvidas por empresas e profissionais que buscam a Excelência no Relacionamento com o Cliente. A ação é uma realização da Garrido Marketing e do IBMR - Instituto Brasileiro de Marketing de Relacionamento. Foram 32 categorias. Mais informações em www.premioabt.com.brSobre a Harald ChocolatesPaixão pelo chocolateApesar de a Harald atuar há 35 anos no mercado, sua essência e paixão pelo chocolate nasceram há mais de 100 anos, em 1888, quando a família Neugebauer imigrou da Alemanha para o Brasil e iniciou negócios em Porto Alegre (RS) abrindo, em 1903, a primeira fábrica de chocolates no País com o sobrenome da família.Fundada em 1982 em São Paulo, a Harald passou a contar com um parque industrial moderno em Santana de Parnaíba, onde 600 colaboradores produzem todos os chocolates da marca, que são exportados para mais de 30 países, além de serem vendidos em todo o Brasil.Atualmente, a Harald conta ainda com 90 representantes comerciais, dois Chefs Chocolatiers, cinco Técnicos Chocolatiers e 60 Instrutores de Culinária, que realizam 3 mil cursos anualmente. Tudo para levar o melhor produto aos seus mais de 8 mil clientes: panificadoras, confeiteiros e aos transformadores de chocolate profissionais autônomos que fazem trufas, bolos e bombons para vender.Em 2015, a Harald passou a fazer parte do grupo japonês Fuji OilGroup, com o objetivo de desenvolver ainda mais sua linha de produção e penetração no mercado nacional e internacional. Com visões semelhantes, ambas companhias têm como valores oferecer segurança e qualidade aos consumidores e ao meio ambiente, comprometimento, inovação e trabalho dedicado às pessoas. Mais informações no site: www.harald.com.brFoto no artigo: Esquerda para direita, executivos da Harald: Taro Takahashi CFO, Sheila Mattos Marketing Manager (segurando o troféu), Ernesto Neugebauer - CEO e Carlos Munhoz Trade MKT Coordinator.
[+ detalhes]
24/11/2017
Descubrimiento más antiguo de la elaboración de vino
Un grupo de científicos descubrieron una de las evidencias más antiguas de la elaboración de vino después de detectar señales químicas de la bebida alcohólica en fragmentos de tarros de barro de casi 8.000 años de antigüedad en dos lugares a unos 50 kilómetros de la capital de Georgia, Tiflis.El hallazgo muestra que este importante hito cultural ocurrió antes de lo previamente conocido en la región del Cáucaso sur, en la frontera de Europa del Este con Asia Occidental. Hasta ahora, la evidencia más antigua de elaboración de vino era cerámica proveniente de las montañas Zagros en el noroeste de Irán que data del 5400-5000 a.C."El alcohol tenía un rol importante en sociedades en el pasado al igual que ahora", dijo el arqueólogo de la Universidad de Toronto Stephen Batiuk, uno de los investigadores del estudio publicado en Proceedings of the National Academy of Sciences."El vino es fundamental para la civilización como la conocemos en Occidente", añadió. "Como una medicina, lubricante social, sustancia que altera la menta y un artículo altamente valorado, el vino se volvió el centro de los cultos religiosos, farmacopeas, cocinas, economías y sociedades en el antiguo Cercano Oriente", explicó.Los investigadores realizaron análisis bioquímicos para hallar componentes residuales del vino que los objetos hubieran absorbido. Patrick McGovern, arqueólogo biomolecular de la Universidad de Pensilvania, halló evidencia de ácido tartárico, un indicio de fabricación relacionada con la uva euroasiática, así como tres ácidos orgánicos asociados: málico, succínico y cítrico.Los objetos fueron hallados en dos poblaciones neolíticas, en las que tal vez vivían unas 60 personas entre ambas, que consistían en pequeñas casas de barro. Los habitantes cosechaban trigo, criaban ovejas, cabras y ganado, y usaban herramientas simples hechas de hueso y vidrio volcánico llamado obsidiana.Los tarros grises, algunos decorados con imágenes simples de racimos de uvas y un hombre bailando, miden 80 centímetros de alto y 40 de ancho. Evidencia de vino fue hallada en ocho tarros, la más antigua del 5980 a.C.De todas formas, este no es el indicio más antiguo de una bebida alcohólica. Previamente se halló evidencia en China de una bebida fermentada que era una mezcla de arroz, miel y fruta y que databa de alrededor del 7000 a.C.Fuente: El país
[+ detalhes]
27/10/2017
Dom Sebastião é a 1ª pizzaria de MT a virar franquia; saiba quanto custa abrir uma
O Dom Sebastião completou dez anos de existência no último dia 23, e para comemorar e continuar trabalhando, os proprietários lançam ainda este ano uma franqueadora do negócio. A primeira franquia abre as portas em meados de novembro, no Pantanal Shopping, e promete ter produtos de mesma qualidade que os da matriz.Durante estes dez anos sempre foi nossa intenção franquear. Não é um projeto novo, é um projeto antigo. Mas precisou de dez anos pra gente amadurecer os conhecimentos do ramo, pra poder finalmente montar a franqueadora, explicou Paulo Leite, pai do chef Paulo Vitor e um dos sócios do Dom Sebastião.A primeira franquia será inaugurada no mês de novembro, no Pantanal Shopping, e na mesma data será lançada a franqueadora. Depois de lá, a intenção é ir para o interior do estado de Mato Grosso e para Rondônia, onde o Dom já conta com vários clientes. Vale lembrar que a empresa será a primeira pizzaria do estado a se tornar uma franquia.Mato Grosso é um estado muito rico, o interior é muito rico, e essas pessoas que produzem essa riqueza estão muito conectadas com o mundo. Não só com Cuiabá, São Paulo, Rio, mas com o mundo, afirma o sócio. Então elas não querem mais comer o produto sem qualidade. Elas querem comer uma boa pizza, um bom prato, um bom sanduíche, um bom salgado. Essas pessoas começam a ficar exigentes no consumo. Não da mais pra ter um alimento amador, garante.A franquiaO Dom Sebastião vai trabalhar com três tipos diferentes de modelo de negócio, com um custo inicial de R$200 mil: o primeiro, com o menor investimento, será o quiosque. Mas com todo o padrão Dom Sebastião. Então, se a gente tem 80 produtos que vendemos aqui, o quiosque vai ter uma quantidade menor?, explica Paulo.O segundo modelo será o de loja para shopping, galeria comercial ou de rua, e o terceiro, para hotel, já que desde 2015 o Dom comanda o restaurante do Hotel Transamérica, e desde 2016 o do Hotel Intercity.De acordo com Paulo, o quiosque inaugurado no Univag em agosto de 2017 foi um protótipo. A gente testou uma série de coisas pra poder chegar nesse ponto de franquiar, explica.Desta forma, o principal objetivo agora é vender franquias similares ao quiosque. Focar em lojas pequenas com todos esses produtos que ele falou. Começando com a pizza, porque nós temos hoje um equipamento que nos permite trabalhar dentro de um shopping, num quiosque, onde a gente não precisa colocar um forno a lenha com exaustão. Os equipamentos são muitos compactos, e temos um portfólio rico dentro de um espaço pequeno, explica o chef Paulo Vitor. Segundo ele, o espaço mínimo para uma loja dessas é de 26 metros quadrados.O empresário que se interessar em comprar a franquia deve entrar em contato com os proprietários do restaurante. Segundo Paulo Leite, é necessário uma conversa para que ambos os lados saiam satisfeitos.A pessoa vai fazer um investimento, colocar recursos dela e é um sonho de ter um negócio, então tem que ter muita responsabilidade dos dois lados, afirma. Por este motivo, antes de fechar qualquer negócio, o Dom precisa disponibilizar aos compradores da franquia uma Circular de Oferta de Franquia (COF), com todo o detalhamento, tendência de mercado, tendência de vendas, legislação tributária sobre o comércio e diversas outras informações.No caso do Dom Sebastião, especificamente, uma das vantagens é que o franqueado não precisa ser chef ou saber cozinhar, já que todos os produtos serão feitos pela matriz e enviados pré-prontos para a franquia. A franquia vende conhecimento. A pessoa que vai comprar vai ter todo o conhecimento adquirido em dez anos repassado para ela. Os riscos dessa pessoa diminuem muito, finaliza o sócio.
[+ detalhes]
26/10/2017
Comer massa pode? Depende dos ingredientes do seu prato. Fique de olho
As massas são um dos grandes vilões da dieta. Isso é verdade, em parte. Segundo especialistas, os verdadeiros carrascos mesmo são os molhos que acompanham o prato. Portanto, na semana em que se comemora o Dia da Massa, o recado é: coma, mas com atenção aos ingredientes e com moderação.As massas são uma fonte de carboidrato, assim como as batatas e o arroz, por exemplo. Existe essa ideia de que devemos cortar o carboidrato para emagrecer, mas ele é a principal fonte de energia do nosso corpo e não devemos excluí-lo totalmente da nossa alimentação. O que torna as massas vilãs são os ingredientes que colocamos nelas, em geral muito calóricos, como molho branco ou quatro queijos, o parmesão ralado e outros ingredientes como bacon ou presunto. Uma massa com um molho simples de tomate, por exemplo, pode perfeitamente ser consumida por quem está tentando perder peso ? diz Gabriella Gachet, nutricionista do Vigilantes do Peso.Além de dar preferência aos molhos menos gordurosos, comer massas integrais também é a saída para quem luta contra a balança.Massas feitas com farinha integral são as mais recomendáveis porque preservam as vitaminas do complexo B e as fibras, que se perdem na massa comum. Para quem apresenta inchaço ou distensão abdominal após consumo de farinha de trigo, pode optar pelas massas feitas de grão de bico ou de quinoa por exemplo ? orienta a nutricionista Larissa Cohen.O ideal é nunca misturar carboidratos e consumir massa com verduras e legumes ou carnes magras.DicasNão deixe o macarrão cozinhar demais, cozinhe sempre um ou dois minutos a menos do tempo indicado na embalagem. Não coloque óleo na água do cozimento.Acrescente cenoura ao molho de tomate. A cenoura não altera o sabor do molho e ainda acrescenta mais fibras e vitaminas.Para os dias mais quentes, opte por uma salada de macarrão fria, com legumes, atum e ovos cozidos.Experimente substituir algumas folhas de massa de lasanha por fatias finas de berinjela ou abobrinha.Já existem muitas receitas de nhoque que substituem a batata por abóbora ou aipim, o que pode tornar seu prato ainda mais nutritivo.Você pode preparar seu próprio molho de tomate em casa e congelar em porções menores para usar sempre que quiser.
[+ detalhes]
25/10/2017
Começou a 6ª Settimana della Cucina Regionale Italiana, em SP
97 espumantes premiados, 97 Medalhas de Ouro. O alto padrão dos espumantes brasileiros mais uma vez foi revelado na principal degustação às cegas do produto no país. O X Concurso do Espumante Brasileiro, promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), é o maior da história com 308 amostras de 80 vinícolas. Desta vez, todos os classificados entre os 30% em cada categoria, conforme normas internacionais, alcançaram pontuação correspondente a Medalha de Ouro, ou seja, de 88 a 91 pontos.Depois de 10 anos com um crescimento quase exponencial em número de amostras, atingimos um recorde, superamos as 300 amostras, o que demonstra a importância do espumante para o Brasil e nos coloca com responsabilidade para produzirmos sempre com mais qualidade, safra após safra, destaca o presidente da ABE, Edegar Scortegagna. O enólogo disse que é preciso refletir e, cada vez mais, buscar qualidade. O espumante brasileiro atingiu um alto nível, onde não podemos nos permitir cometer erros. Devemos manter o alto padrão de qualidade reconhecido mundo afora. E para isso, precisamos buscar matéria prima correta e modernizar nossas vinícolas, pois hoje podemos afirmar, sem medo, que o espumante brasileiro está entre os melhores do mundo, enfatiza.Considerado a principal janela para o mundo dos espumantes brasileiros, o X Concurso do Espumante Brasileiro reuniu um júri formado por 53 profissionais entre enólogos, sommeliers e jornalistas especializados. As degustações aconteceram nos dias 18 e 19 de outubro, na Câmara da Indústria e Comércio de Garibaldi (CIC), integrando a programação da Fenachamp 2017. A divulgação dos resultados e entrega das medalhas ocorreu em coquetel realizado na noite do dia 20 de outubro no CTG Sentinela da Serra, no Parque da Fenachamp, em Garibaldi (RS).Participaram espumantes elaborados por vinícolas de sete estados brasileiros, sendo eles: Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, numa demonstração da diversidade da produção nacional. Os espumantes foram degustados às cegas, seguindo normas internacionais, dentro de suas categorias: espumantes de segunda fermentação (charmat e tradicional) e espumantes de primeira fermentação (moscatéis). O concurso seguiu as normas da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE).Prêmio Destaque Cleber AndradeO 10º Concurso do Espumante Brasileiro seguiu o formato da edição anterior, prevendo uma distinção especial concedida a espumantes que se sobressaírem em suas categorias. O objetivo é exaltar ainda mais a produção nacional. Este ano, o prêmio carrega o nome de Cleber Andrade, uma homenagem que a ABE presta ao ex-presidente e um dos enólogos mais marcantes que o Brasil já teve.O Destaque Cleber Andrade foi entregue a seis espumantes, um em cada categoria. Para isso, ao final do concurso, foi realizada uma degustação de preferência entre os produtos que conquistaram Medalha de Ouro e melhores medianas, a fim de destacar a preferência dos jurados.DESTAQUESDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante Brut elaborado pelo método charmatPonto Nero Espumante Brut - Domno do Brasil Indústria e Comércio de BebidasDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante Brut elaborado pelo método tradicionalMonte Paschoal Dedicato Espumante Champenoise BrutBasso Vinhos e EspumantesDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante Brut RoséCave Amadeu Espumante Brut Rosé - Vinícola GeisseDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante Nature e Extra-BrutDon Guerino Cuvée Espumante Extra Brut - Don Guerino Vinhos FinosDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante MoscatelMonte Paschoal Dedicato Espumante Moscatel RoséBasso Vinhos e EspumantesDestaque Cleber Andrade - Categoria Espumante Demi-SecConde de Foucauld Espumante Demi-Sec BrancoCooperativa Vinícola Aurora
[+ detalhes]
24/10/2017
Agora é a vez dos vinhos brancos, rosés e espumantes
Com a chegada da primavera, os vinhos tintos não saem completamente de cena, mas cedem o protagonismo para os brancos e rosés, que são mais refrescantes e, portanto, combinam melhor com temperaturas elevadas. As opções presentes no mercado são variadas, o que tende a agradar a todos os paladares. Para facilitar a escolha do consumidor, o sommelier Rogério Santos, do Barbacoa Campinas, e a coordenadora do Empório Giovannetti, instalado na unidade Cambuí da rede de choperias homônima, Ivonete Castro, dão dicas de rótulos com preços de até R$ 200, que são ideais para serem degustados em dias e noites de calor, de preferência acompanhados de refeições mais leves.Uma das boas sugestões para a primavera e também para o verão, segundo Ivonete, é o Cambridge Ice, um vinho do Porto branco que deve ser degustado bem gelado ou, para surpresa de muitos, até com uma pedra de gelo. Trata-se de uma bebida para ser apreciada nas mesmas ocasiões em que abrimos um espumante. Como esse vinho tem um grau de doçura um pouco maior que os outros tipos de Porto, a pedra de gelo ajuda a atenuar o dulçor, tornando a bebida mais agradável ao paladar, explica. O vinho tem preço de R$ 175 (garrafa) e R$ 30 (taça), e pode ser adquirido no Empório para ser degustado no local ou levado para casa.Outra boa opção para brindar às estações mais quentes do ano é o espumante português Terras do Demo Malvasia Fina Bruto, produzido na região de Távora-Varos. Ivonete destaca que a bebida, bastante fresca e frutada, deve ser servida a uma temperatura em torno de 5°C, para que suas características sejam valorizadas. Nada influi tanto na apreciação de um vinho quanto a sua temperatura. Quanto mais adequada esta for, melhor será a experiência gustativa do consumidor, ensina. O branco Terras do Demo Malvasia Fina Bruto, acrescenta Ivonete, harmoniza muito bem com peixes, mariscos, ostras ? como, por exemplo, o prato de frutos do mar grelhados presente no cardápio da casa ? e carnes de aves, como a isca de frango empanado. O preço da garrafa é R$ 139,90.De Portugal também vem o espumante rosé Terras do Demo Touriga Nacional Bruto, da mesma região de Távora-Varos. Este apresenta igualmente paladar fresco e frutado, mas com algumas notas florais. Deve ser servido a uma temperatura próxima de 5ºC, preferencialmente na companhia de peixes, mariscos, ostras e carnes de aves. Preço: R$ 139,90.Viva a acidez!Uma das propriedades mais apreciadas no vinho branco é a sua acidez. Quando bem equilibrada, essa característica torna a bebida ainda mais especial, contribuindo desse modo para a construção de excelentes momentos. De acordo com o sommelier do Barbacoa, duas uvas bem conhecidas dos brasileiros apresentam esse atributo: a Chardonnay e a Sauvignon Blanc, variedades originárias da França, mas que se adaptaram perfeitamente ao Chile, país vizinho que nos fornecesse ótimos exemplares.A Chardonnay, detalha Rogério Santos, normalmente proporciona bebidas mais untuosas, frutadas e com acidez moderada. ?Já a Sauvignon Blanc costuma gerar vinhos mais frescos, frutados e com acidez mais elevada?. Para acompanhar saladas e carpaccio ? ambas opções encontradas no buffet de saladas do Barbacoa ? e também camarão grelhado, o sommelier recomenda o ?Nimbus Single Vineyard Sauvignon Blanc?, um chileno do Vale de Casablanca. Além de rica acidez, a bebida oferece delicadas notas minerais. O preço, tanto para consumo no local como para viagem é R$ 140.Do Chile vem, ainda, o Ventisquero Reserva Chardonnay, um branco com acidez muito amigável e que harmoniza à perfeição com peixes, frutos do mar, carnes brancas e queijos não curados. O preço é R$ 89. Por fim, o sommelier do Barbacoa recomenda um vinho rosé, o Berne IGP Esprit Méditerranée, um francês originário da Provance. Durante muito tempo, nós brasileiros tínhamos um pouco de preconceito com o vinho rosé. Havia a ideia equivocada de que se tratava de uma bebida feminina. Hoje, sabemos que não é nada disso. Esse vinho é leve, refrescante e eclético. É uma ótima companhia para um dia quente e harmoniza muito bem com filé de peixe grelhado, como os presentes no cardápio do Barbacoa ? linguado, pintado, bacalhau e salmão, pontua Rogério Santos. Preço: R$ 99.Giovannetti CambuíA casa, localizada no Cambuí, bairro boêmio de Campinas, foi fundada em 1997. Ocupa um imóvel histórico de 1,7 mil m², que foi restaurado pelo Grupo Giovannetti. O bar e restaurante tem capacidade para 700 pessoas e conta com salão principal, onde está instalado o Empório, áreas ao ar livre e espaço para recreação infantil. O almoço, diariamente, é em sistema de buffet, com cobrança por peso ou por pessoa. A partir das 16h, o cliente tem à escolha pratos boêmios, executivos e triviais, além de pizzas, salgados ? como o Milionário (kibe) e o Portuga (bolinho de bacalhau), lanches e porções. A happy hour conta com uma mesa de frios com mais de 20 itens selecionados, além de chope com preço promocional, de segunda a quinta-feira, das 16h às 20h.ServiçoEndereço: Rua Padre Vieira, 1277, Cambuí ? Campinas/SPTelefone: (19) 3234-9510Horário de funcionamento: Todos os dias, das 11h até o último clienteSite: www.giovannetti.com.brBarbacoa CampinasO Barbacoa Campinas opera com serviço à la carte no almoço e no jantar. No cardápio estão mais de 15 cortes exclusivos de carnes nobres entre os quais o Carré de Cordeiro e o T-bone, e também pescados e outras opções, além de sobremesas e uma carta de vinhos com mais de 200 rótulos. As carnes acompanham uma guarnição à escolha do cliente e o pedido dá direito ao buffet de saladas, com mais de 30 itens. Com capacidade para 150 pessoas, o restaurante conta com três ambientes intimistas ? Adega Barbacoa, Salão Principal e Espaço Gourmet. Na Adega, o cliente encontra vinhos da mais alta procedência para degustar no local ou para viagem. Já o Espaço Gourmet, é uma área privativa ideal para a realização de eventos sociais ou corporativos.ServiçoEndereço: Avenida Guilherme Campos, 500, Parque D. Pedro Shopping (Entrada das Águas) ? Campinas/SPTelefone: (19) 3209-1641Horário de funcionamento: Todos os dias, das 10h até o último clienteSite: www.barbacoa.com.br
[+ detalhes]


DESEJA RECEBER NOSSA NEWSLETTER?
DIGITE SEU E-MAIL ABAIXO E CADASTRE-SE




Lançamentos

Telefone:

+55 11 5524-6931

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/Revista-Pizzas-Massas

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001
script>