Espanhol Português Inglês
Consumíveis Não Cons. Serviços Empresas
CADASTRE-SE AGORA MESMO!


Fique por dentro! Aquisições, ampliações e todas as novidades que movimentam o mercado de alimentos você encontra diariamente aqui!


17/09/2019
Eventos internacionais em São Paulo movimentam o mercado de bebidas adultas e geram negócios no Brasil e exterior
Wine Trade Fair e Cachaça Trade Fair no Anhembi são voltadas exclusivamente para B2B e englobam Congresso com representantes de entidades de classe e do Itamaraty em prol do fomento dos setoresDe 17 a 19 de setembro, a capital paulista sedia a terceira edição de duas importantes feiras internacionais para estimular os negócios no mercado de bebidas adultas: Wine Trade Fair e Cachaça Trade Fair. São realizadas exclusivamente para B2B, com expositores e visitantes que atuam diretamente em áreas ligadas à cadeia produtiva dos segmentos. Um encontro focado no fomento dos negócios, para alavancar as vendas, gerar mais emprego e ampliar as possibilidades de negociações de ponta a ponta.Zoraida Lobato, organizadora do evento ressalta que as expectativas do setor de vinhos para 2019 são de crescimento. "A alta estimada está entre 10% e 15%, comparando com igual período do ano anterior", complementa. E no segmento de cachaça não é diferente, com tantas aberturas conquistadas recentemente para exportação e importação, os setor se mostra bastante aquecido e otimista.Ainda sobre números dos segmentos, a organização da Wine e Cachaça Trade Fair estima que o mercado vitivinicultor no país empregue mais de 200 mil pessoas e movimente cerca de R$ 9 bilhões por ano. São mais de 1,1 mil vinícolas do Sul ao Nordeste do país, sendo 90% delas micro e pequenas. Além do Rio Grande do Sul, que responde por cerca de 90% da produção de vinhos no Brasil, e de Santa Catarina, outros estados têm se destacado na elaboração de produtos vitivinícolas. Paraná, na região Sul; São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais, na região Sudeste; Bahia e Pernambuco, no Nordeste, além de Goiás e Mato Grosso, no Centro-Oeste.A cachaça tem, a cada ano, demonstrando sua importância no cenário econômico nacional e também vem ultrapassando fronteiras. "Temos grandes produtores nacionais conquistando medalhas de ouro em importantes concursos internacionais no país e no exterior, o que vem estimulando a exportação para China, Portugal e até Turquia", conta Zoraida.De acordo com o Instituto Brasileiro da Cachaça -IBRAC, entidade representativa do segmento produtivo da Cachaça, que reúne as informações do setor, e apoiador da Cachaça Trade Fair-, o Brasil possui uma capacidade instalada de produção de 1,2 bilhão de litros e a bebida é hoje exportada para mais de 60 países, sendo protegida como bebida exclusiva do Brasil pela Colômbia, México, Estados Unidos e Chile. Segundo o IBRAC, o acordo entre o Mercosul e a União Europeia, anunciado recentemente, também protegerá a Cachaça nos países do bloco europeu.Além da oportunidade para network e negociações, a Wine e Cachaça Trade Fair engloba um Congresso Internacional da Cachaça e do Vinho -Cicavi-, que tem como comitê científico doutores e pesquisadores da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Em palestras, abordam desde os aspectos técnicos até questões políticas e comerciais, a fim de contemplar da agricultura à comercialização da cachaça.O que o visitante encontra na Wine Trade Fair?Espanha:O vinho Habla del Mar, trazido pela importadora Hispania, fica imerso no mar durante cinco meses em uma temperatura de 8ºC, em uma espécie de adega submarina, na Bahía de San Jean de Luz, na França. O vinho é submetido a uma segunda fermentação, o que rejuvenesce a bebida e oferece uma série de nuances salinas, de algas e acidez equilibrada. O trabalho é realizado por uma equipe de mergulhadores que controla todo o processo. Sua elaboração é feita a partir da mescla de uvas brancas de origem atlântica.Alemanha:Pela importadora Weinkeller, que é especializada em vinhos biodinâmicos, estão as vinícolas:-Schloss Wachenheim, que fica na região de Pfalz e é conhecida como o "palácio dos espumantes alemães", onde seus enólogos cultivam há mais de 125 anos espumantes de alta qualidade.-Weingut Heinz Pfaffmann, que produz vinhos desde 1616 -atualmente estão na 17ª geração de vinicultores da mesma família, preservando a tradição e know-how de 400 anos de enologia-.-Weingut Thomas Rüb, localizada na região de Rheinhessen, está na quinta geração da mesma família. O produtor é considerado uma raridade na Alemanha, por ter se especializado em uvas tintas, desde a tradicional Dornfelder até a famosa Merlot, impressionando com a qualidade.Itália:-Cantine Di Tufo, produtora de vinhos da denominação Campânia DOCG.-Il Iv Miglio, fundada em 2004, referência por seus vinhedos históricos, conhecidos como Campi Flegrei, terras nas quais se cultiva vinhos há três mil anos.-Cantina Di Ortona, uma cooperativa de produtores vinícolas (Cantina Sociale) fundada em 1960 na região dos Abruzos (Abruzzi).-Cantine Europa, cooperativa de produtores vitivinícolas (Cantina Sociale), que foi fundada em 1962 em Petrosino. É a primeira produtora mundial da uva Grillo, branca de enorme potencial. Vinifica as brancas Grillo, Zibibbo e Catarrato Lucido, todas uvas de origem local. Entre as tintas, privilegia a Nero d'Avola, a principal uva rubra siciliana, Perricone e Syrah.França:País ícone no setor de vinhos também não poderia ficar de fora. Representando a tradição está a Ciclon com lançamento para o mercado nacional, como o Bleu de Mer, vinho Rosé que tem origem de um dos mais renomados produtores do mundo, Bernard Magrez.Além dos países citados, o evento recebe expositores da Argentina e Chile.Brasil:Região de São Paulo:-Vinícola Góes, com vinhos finos elaborados em solo paulista. Alguns rótulos com premiação em importantes concursos nacionais e internacionais, outros que já ganharam o paladar não só dos paulistas, mas de todo o Brasil.-Vinícola Bella Aurora: fundada na década de 20 em São Roque, mantém sua tradição familiar na produção até hoje.Além da Vinícola XI Novembro e Quinta de São Roque, que estarão na feira.-Das regiões Sul do Brasil, reconhecidas no mercado nacional por grandes produções, estão vinhos da Lidio Carraro, Miolo, Gran Legado, Don Guerino, Buenos Wines, Ventura e Torcello trazidos pela importadora Alvino Expert. E a Vinícola Fin, que vem apoiada pelo Sebrae-RS.-Região Nordeste, principais vinícolas como Rio Sol, pertencente ao grupo português Global Wines, que administra várias vinícolas em Portugal.Mais uma boa dose etílica na Cachaça Trade FairJá no segmento de cachaça, o visitante encontra destilarias de diversas regiões do País. Entre elas, estão produtores de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo, por exemplo.-Samanaú, cachaça produzida em Caicó, na Região Seridó do Rio Grande do Norte, reconhecida mundialmente entre as melhores na categoria envelhecida. Atualmente, no Alambique Samanaú, a produção chega a cerca de 80 mil litros da bebida por ano.-Cachaça da Quinta, produzida no Município do Carmo, região serrana do estado do Rio de Janeiro, a Fazenda da Quinta surgiu em 1923 e em 2009 conquistou posição de destaque nas melhores lojas, restaurantes e bares e na preferência de clientes e especialistas, das capitais fluminense e paulista, e começou a exportar para mercados exigentes, como os Estados Unidos, Taiwan, Inglaterra e França.-Cachaça Margô, produzida na cidade de Sales de Oliveira, na região da Alta Mogiana no estado de São Paulo- conhecida pela elaboração de cachaças premiadas-, é feita no alambique Jatobá, sob os mais criteriosos padrões de qualidade. A bebida fica envelhecida em barris de carvalho americano por dois anos e vem conquistando premiações de respeito no País, com projeção internacional.-Cachaça do Coronel, de Minas Gerais, produzida em Taquaraçu de Minas, no Alambique do Coronel, onde produz a então cachaça artesanal em escala comercial.-Cachaça Bento Albino, de Maquiné, e a Velho Alambique, de Santa Tereza estão no evento com o apoio do Sebrae-RS.-Cachaça Ouro 1, bebidas premiadas com medalha de ouro no exterior. Versões de cachaças envelhecidas em tonéis de carvalho por três anos -a Ouro 1 Velha; a Cachaça Ouro 1 Branca, descansada por meses em tonéis de aço inox. Cachaça Ouro 1 Vida, bebida mista cachaça, mel natural, e estratos limão. Cachaça Ouro Mineiro, envelhecida em tonéis de Umburana por dois anos e meio. Cachaça Ouro 1 Especial, envelhecida em tonéis de Carvalho Europeu e Americano por oito anos.CICAVIO Cicavi -Congresso Internacional da Cachaça e do Vinho- tem entre suas premissas promover a competitividade dessas bebidas nos mercados interno e externo, bem como proporcionar maior sustentabilidade aos agentes envolvidos."Reunimos uma equipe formada por mestres, doutores, engenheiros, entre outros especialistas de todo o Brasil que tornam o evento uma oportunidade ímpar para aperfeiçoamento profissional e network", complementa Zoraida Lobato.São três dias de congresso, com abordagem de temas que vão desde a qualidade e a variedade da matéria-prima, até estratégias de desenvolvimento, comercialização e turismo.Em 17 de setembro, das 18h às 20h, o Cicavi realiza uma "mesa redonda" com a participação de autoridades para debaterem as expectativas em relação à eliminação da tributação no segmento de vinhos e espumantes, além dos novos desafios para toda cadeia produtiva da cachaça.Estão confirmados nomes como: pelo Itamaraty, Camila Silva Leão d' Araújo Olsen, chefe da Divisão de Promoção do Agronegócio II - Ministério das Relações Exteriores; Carlos Lima, diretor executivo do IBRAC -Instituto Brasileiro da Cachaça-; Carlos Paviani, diretor executivo do IBRAVIN -Instituto Brasileiro do Vinho-; o deputado italiano e presidente da SPVINHO, Fausto Longo; o presidente da Ravin Importadora, Rogério D'Ávila, e o presidente da Vinícola Góes e prefeito de São Roque, Claudio Góes. A mediação ficará a cargo do jornalista Eduardo Viotti, com outros grandes nomes que estarão ao seu lado no debate, como o jornalista Eduardo Russo.Depoimentos e expectativas de expositores"Participar de um evento B2B é muito importante, pois frisamos nossa marca e fazemos negócios com novos estabelecimentos", aposta Luciano Lopreto, diretor comercial da Vinícola Góes."Somos uma distribuidora de vinhos brasileiros e temos a missão nada óbvia de vender o vinho brasileiro para os brasileiros! Estamos na feira com vinhos da vinícola Lidio Carraro, da vinícola Boutique Torcello, entre outras. Trabalhamos com mais de 100 rótulos". Sylvia Begliomini, diretora comercial da Alvino Expert Vinhos Brasileiros."A feira tem extrema importância para o setor, para que o público se aproxime mais dos fornecedores e conheça novos. Em nosso estande o visitante encontrará uma nova linha de vinhos importados, com toda a elegância dos vinhos do Sul da França". Eduardo Joe Kakiuchi, diretor da Ciclon Brasil."A Wine Trade Fair é uma excelente plataforma para exposição junto a possíveis clientes On Trade e oferece possibilidades para o mercado externo também, além de recebermos a visita de agentes de outros estados, sejam compradores ou distribuidores. Neste evento buscamos efetivar contatos para futuras transações". Haroldo Narciso, CEO Mastar Blender da Famigerada Cachaça."Nossas expectativas com a feira são as melhores possíveis, tanto para novos negócios como para consolidação da nossa marca que vem acontecendo dia após dia. Apresentamos uma cachaça extra Premium premiada, com proposta de embalagem moderna para atender qualquer tipo de público"! Kátia Ribeiro, Supervisora Administrativa da Cachaça Dom Cabral."A feira é uma ferramenta de marketing importante por ser específica para o segmento de cachaça. No evento, o visitante pode conhecer e degustar a MusA Aguardente de Banana Ouro que ganhou medalha de ouro no 17° Concurso de Vinhos e Destilados do Brasil". Antonio Carlos Ferreira, sócio-diretor da MusA Agroindustrial e Maykon Pereira, representante da MusA."A Feira vem para agregar valor ao setor de bebidas, em especial à cachaça, que era vista como bebida de baixa qualidade, mas hoje, com eventos desse porte, elevou-se o conceito para uma bebida cult, sem barreiras sociais e de muita qualidade. O visitante encontra qualidade, sabor e pluralidade gourmet de uso da cachaça". Nery Cristofer Silva, Cachaça Engenho do Coronel."Normalmente estamos muito preocupados com a produção e com qualidade, e a venda é uma atividade difícil, muitas vezes desconhecida para os produtores. Por isso, a feira encurta este caminho e aproxima o produtor dos compradores. Nosso destaque é a Cachaça Margô Premium, ganhadora de uma medalha de Prata no concurso nacional de destilados do Brasil". Aluizio B. Margarinho, sócio da Cachaça Margô."Nossa expectativa é fazer bons negócios, expandir nossos negócios para essa região do país que ainda temos um discreto comércio, temos como novidade nossa nova apresentação de rótulos e embalagens, como também a nossa Carvalho premiada na Expominas 2019". Adeylza Matos, Cachaça Paramirim.Wine Trade Fair e Cachaça Trade Fair 2019De 17 a 19 de setembroDas 14h às 20hPavilhão de Exposições do AnhembiAv. Olavo Fontoura 1209, Santana - São Paulo - SPwww.winetradefair.com.brwww.cachacatradefair.com.br
[+ detalhes]
12/09/2019
6ª Festa do Camarão celebra a tradição da Gastronomia Potiguar
Promovido pela Abrasel no Rio Grande do Norte, este ano a festa acontece de 17 de outubro a 3 de novembroA Festa do Camarão está chegando à sua 6ª edição, consagrando o camarão como estrela principal do evento. Tradicional ingrediente e parte da cultura potiguar, o camarão é também protagonista no cardápio dos mais tradicionais restaurantes de Natal.O evento este ano será realizado de 17 de outubro a 3 de novembro, em duas etapas: durante esse período, dentro de cada restaurante participante, e no novo Centro de Convenções de Natal, ponto alto da programação, nos dias 24, 25 e 26/10, das 18h às 24h.Durante os 18 dias da Festa do Camarão, os restaurantes oferecem em suas casas pratos inéditos a preços promocionais, com ampla divulgação, tanto em peças gráficas, como através da equipe de atendimento dos estabelecimentos.Na etapa do Centro de Convenções, os mesmos restaurantes montam suas logísticas e operações, e comercializam suas criações junto ao grande público, ao preço de R$ 15,00, em menu degustação. Haverá uma grande estrutura, com praça de alimentação, palco para apresentações musicais, palestras, cozinha show, estandes de artesanato local e feira de negócios.Representatividade e culturaCada cidade tem uma comida que a representa, um símbolo de sua gastronomia para o restante do País, que a diferencia e enaltece. Assim como o Tutu e o Frango com Quiabo estão para Minas Gerais, o Churrasco para o Rio Grande do Sul, o Arroz de Cuxá está para o Maranhão, podemos afirmar que o camarão é a cara de Natal.Mais que uma simples referência, comer camarão é uma tradição herdada da grande tribo tupi dos potiguares, ou potiguaras, que na língua nativa significa "comedor de camarão" (Poti = "camarão" + guar = "comedor").O presidente da Abrasel, Artur Fontes, explica que os 30 restaurantes participantes elaboram receitas com camarão que são vendidos por um valor promocional durante o evento. Artur também ressalta os resultados positivos da Festa nos últimos anos: "Conseguimos movimentar bem as vendas para os restaurantes, principalmente nos três dias no Centro de Convenções. Sempre foi nosso sonho nacionalizar esse evento e esse ano, pela primeira vez, estamos fazendo um plano de divulgação forte para outras cidades do BrasilA Festa do Camarão busca a consolidação como celebração-símbolo da cidade de Natal, assim como a Chocofest em Gramado (RS), Festival Folclórico de Parintins (AM), Festa da Uva de Caxias do Sul (RS), ou até mesmo o carnaval em cidades como Salvador (BA), Recife e Olinda (PE) e Rio de Janeiro (RJ), por exemplo. Difícil desassociar essas cidades dessas festas temáticas. Esse é o propósito; fazer de Natal destino certo para turistas e apreciadores do camarão; uma data para encontros e degustação no calendário oficial de eventos da cidade.SERVIÇO:6ª Festa do CamarãoDe 17 de outubro a 3 de novembro, nos restaurantes participantesDias 24, 25 e 26/10, das 18h às 24h, no Centro de Convenções
[+ detalhes]
12/09/2019
Beach Park inaugura Pizzaria da Vila
O Beach Park Entretenimento inaugurou, na véspera do Dia da Pizza, a Pizzaria da Vila. Localizada no centro de convivência do complexo, a Vila Azul do Mar, o novo recinto gastronômico ocupa um espaço aconchegante em meio a lojas e quiosques, com vista para o mar.O menu é assinado pelo chef Bernard Twardy, chef corporativo e consultor do Beach Park, estudioso da gastronomia cearense e responsável por levar requinte aos cardápios e pratos exclusivos que integram a culinária do complexo turístico. "Fizemos uma pesquisa interna e constatamos que o público tem apreciado essa combinação entre o clássico e o tradicional, como no caso dos pratos do nosso Restaurante de Praia. Por isso, optamos por um cardápio com sabores já tradicionais e também investimos em sabores exclusivos, como a pizza Gamberatti, com camarões fatiados e azeitonas pretas, e a pizza de Rúcula com tomate seco, voltada para o público vegetariano", explicou.No cardápio, além de pizzas com massa artesanal de diversos sabores nos tamanhos individual e para toda a família, há várias opções de entradas, sanduíches e sobremesas, e também uma carta de bebidas exclusiva com vinhos, espumantes, coquetéis e outros drinks.Sobre o Beach Park EntretenimentoCom mais de 30 anos de história, o Beach Park Entretenimento é um grupo de empresas genuinamente cearense que atua em diversas áreas de lazer e entretenimento. Localizado na praia de Porto das Dunas, a 17 km de Fortaleza, capital do Ceará, o complexo turístico Beach Park é uma das opções de lazer mais procuradas pelos viajantes no país inteiro. Atualmente ocupa mais de 160 mil m² e reúne um parque aquático, três resorts, um hotel, além do Restaurante de Praia e da Vila Azul do Mar - espaço de convivência e serviços -, ambos abertos ao público. O Aqua Park, que conta com 18 grandes atrações, recebeu em 2017 a notável marca de um milhão de visitantes. O Beach Park Entretenimento também faz parte do Hall da Fama do TripAdvisor por ter recebido o Certificado de Excelência nos últimos cinco anos. Pelo segundo ano consecutivo, foi eleito um dos melhores lugares para se trabalhar do Brasil pelo Prêmio Great Place To Work. Mais que um destino de férias, hoje se consolida como um grupo de entretenimento por meio de suas diversas atuações como a Rádio Beach Park, a Revista Onda Beach Park, o Beach Park Studios - estúdio de animação próprio -, e o Ceará Show - primeiro espetáculo musical permanente no Estado. Com a preservação do meio ambiente sendo uma de suas prioridades, o Beach Park tem reconhecimento internacional de gestão ambiental com o selo ISO 14.001 - norma adotada por grandes empresas de todo o mundo que tem o compromisso de reduzir o impacto ambiental e ampliar os negócios. É sócio-idealizador da Pordunas, Associação que tem como objetivo desenvolver projetos e iniciativas socioambientalmente responsáveis para melhoria da qualidade de vida da região do Porto das Dunas, em Aquiraz-CE.SERVIÇO:Beach Park:Site: www.beachpark.com.brBlog: http://blog.beachpark.com.brFacebook: https://www.facebook.com/BeachParkBrasilInstagram: https://instagram.com/beachparkTwitter: https://twitter.com/beachparkYoutube: https://www.youtube.com/user/tvbeachpark
[+ detalhes]
12/09/2019
Com o título de melhor cervejaria do Brasil, das Américas e do Mundo, Backer comemora o ano de 2019 com muitas premiações
Além dos prêmios e lançamentos, também conquistou muitas medalhas internacionais com whisky e ginMais uma grande conquista! A Backer acaba de receber a distinção como Melhor Cervejaria das Américas, revelada na Copa Cervezas de America, um dos mais importantes concursos do calendário internacional, e levou também as medalhas de ouro com sua Buick 49 (Experimental Beer), Tommy Gun (Double IPA), Diabolique (Other IPA) e Reserva Scotch; prata com a Capixaba (American Ligth Lager) e a Corleone (Red & Rye IPA) e ainda o bronze com a Reserva do Proprietário (American Wild).As comemorações de 2019 começaram em março, durante o Concurso Brasileiro de Cervejas em Blumenau. A cervejaria sempre fatura relevantes medalhas, mas esta edição foi especial. Além de ganhar seis medalhas com suas cervejas, a Backer foi consagrada como a melhor cervejaria do Brasil na categoria grande porte. Desde 1998, a marca vem traçando sua trajetória no mercado nacional sempre na vanguarda com ousadia, excelência e muito, mas muito trabalho e dedicação. A marca levou 13 novas cervejas sazonais para Santa Catarina em 2019.Já no segundo semestre, a cerveja Bernardy?skie da Backer foi eleita a melhor do mundo em sua categoria no World Beer Awards, um dos mais relevantes concursos cervejeiros do mundo. Este tipo especial de cerveja, já extinta no mundo, foi recriada, no ano passado, na capital mineira em roupagem especial: a edição comemorativa pelos 25 anos do Verdemar, rede mineira de supermercados e padarias. A Bernardy?skie é uma inspiração de uma receita Prussiana do século XIX. Leva malte de trigo defumado em carvalho, centeio e diferentes tipos de maltes de cevada e é fabricada com lúpulos poloneses selecionados especialmente para esta receita. Uma ale leve, complexa e equilibrada com sutis notas defumadas, intensa acidez leve e um aroma final de frutas vermelhas advindas dos lúpulos utilizados. Possui 4,9% de teor alcoólico e 18 IBU.Além da premiação com a Bernardy?skie, a Backer venceu a categoria de Melhor Barley Wine Brasileira com a Cabral e Melhor Belgian Style Ale Brasileira com a Medieval. A cervejaria também conquistou a medalha de prata para a Bravo (Wood Aged), medalha de prata para Reserva Smoked (Strong), medalha de prata para Reserva Wood Sour (Belgian Style Ale) e a medalha de bronze para Julieta (Fruit & Vegetable)."Acreditamos na Backer! Hoje, somos a maior microcervejaria independente do Brasil. Fomos eleitos a melhor do mundo pelo World Beer Awards, em Londres, a melhor do Brasil em Blumenau e agora a melhor da América. Fizemos um bom trabalho e temos a melhor equipe porque somos uma família! Nestes 20 anos de cervejaria, recebemos estas premiações como reconhecimento e força para trabalharmos mais 200! A Backer faz história e já é uma marca mineira conceituada que leva para o mundo - assim como nossa tradicional culinária - o jeito mineiro de fazer com carinho e alma", comemora Paula Lebbos, diretora de marketing da Backer.Mas nem só de cervejas vive a cervejaria Backer e seus destilados também fizeram bonito em 2019. Só o whisky já conquistou cinco medalhas internacionais. Recebeu o ouro no The Spirits Business World Whisky Masters - Londres/Reino Unido e no SIP Awards - Califórnia/Estados Unidos; a prata IWSC International Wine and Spirits Competition - Londres/Reino Unido e o bronze noLondon?s Spirit Competition - Londres/Reino Unido.A Backer lançou o Whisky 3 Lobos, seu primeiro single malte, em setembro de 2018. O whisky da Backer é uma bebida bastante frutada, leve e fresca, com notas aromáticas de pêra e mel.Sobre a BackerCriada em setembro de 1998, a receita do chope Backer, "made in Minas", conquistou os clientes da antiga e renomada casa de shows de Belo Horizonte, a Três Lobos. O grande sucesso fez com que os empresários Halim e Paula Lebbos e Munir Khalil investissem em um espaço, no qual iniciaria a produção da primeira cerveja artesanal de Minas Gerais, em outubro de 2005.No final de 2014, a Backer abriu as portas do Pátio Cervejeiro, complexo que engloba o restaurante Tempo Cervejeiro e a Maternidade Cervejeira, onde são produzidas as cervejas. O local é um capítulo à parte, tendo se tornado um importante ponto turístico de BH, por tudo que representa para a cidade e o estado. O Pátio abriu as portas também para os cursos cervejeiros, que têm sido muito procurados pelos interessados em conhecer mais sobre as cervejas."Em 2018, fizemos vários investimentos em planta física, equipamentos e contratações, com intuito de dobrar a nossa produção. Ouvimos de muitas pessoas: - vocês estão loucos? Como investir e contratar com o Brasil passando por recessão econômica e política? Mas acreditamos, lançamos novos rótulos de cervejas, o primeiro whiskey single malte artesanal cervejeiro, e o Hop Gin, ambos já premiados internacionalmente. Passamos sim dificuldades com a retração do mercado, aumento do dólar, crise na indústria do vidro e aumento do nosso principal insumo, o malte, no começo de 2019, mas já estamos vendo melhora e aquecimento em nosso setor", defende Paula Lebbos, diretora de marketing da Backer.
[+ detalhes]
12/09/2019
Lagunitas chega ao país: saiba onde encontrá-la
Com anúncio de sua chegada ao Brasil, a IPA mais vendida do mundo, estará disponível em pontos de vendas específicos na região sudeste do paísA partir do próximo dia 12 de setembro, os fãs de cervejas lupuladas poderão contar com uma novidade nas gôndolas dos supermercados e também em bares e restaurantes: é a chegada da Lagunitas Brewing Company. A marca de cerveja artesanal criada em Petaluma, na Califórnia, desembarca no país com fabricação em Blumenau (SC). A novidade estará, inicialmente, disponível no e-commerce do Grupo Pão de Açúcar e nos principais bares de cerveja craft nas cidades de SP, RJ e BH, nos formatos 355ml e chope. A partir da segunda quinzena de outubro, a cerveja poderá ser adquirida também nas lojas físicas do Pão de Açúcar, além de grandes redes de supermercados em outros estados, como Angeloni (SC) e Verdemar (MG).A IPA mais vendida do mundo terá sua fabricação nacional, com com supervisão da Lagunitas Brewing Company, a fim de assegurar um sabor idêntico ao produzido na Califórnia, conforme explica Jeremy Marshall, Brew Monster da marca: "Usamos o mesmo lúpulo e as mesmas receitas em todos os locais onde Lagunitas é produzida. Com a produção local, podemos garantir que nossos amigos do Brasil tenham acesso a IPAs tão frescas quanto as que são compradas em qualquer uma de nossas cervejarias nos EUA."Os clientes poderão adquirir a IPA de Lagunitas nos supermercados, hipermercados e varejo à um preço sugerido de R$ 9,90. Já em bares e restaurantes especializados em cervejas crafts, o valor da long neck (355ml) será de R$18,90 enquanto o chopp (half pint) custará R$ 15,00.Sobre a Lagunitas Brewing Company:A Lagunitas Brewing Company começou como uma pequena cervejaria local na costa da Califórnia em 1993. Desde o engarrafamento das cervejas até sua comercialização, a visão da Lagunitas sempre foi em direção ao futuro. Da expansão da cervejaria de Petaluma, até a construção de uma segunda unidade em Chicago e a comercialização de seu carro-chefe, a IPA, para outros países, a Lagunitas provavelmente seria capaz de produzir boa cerveja até na lua. Onde quer que você vá, beer speaks, people mumble. Veja mais em www.lagunitas.com.
[+ detalhes]
12/09/2019
Saiba mais sobre a ascensão dos "restaurantes virtuais"
Aplicativos de entrega de alimentos como o Uber Eats, o DoorDash e o Grubhub estão começando a remodelar a indústriaÀs 21h30 na maioria das noites da semana, Ricky Lopez, chef e proprietário do Top Round Roast Beef, em San Francisco (EUA), empilha dezenas de sanduíches de carne com acompanhamento de batatas fritas para servir a seus clientes famintos. Ele também empana filés de frango para outro de seus restaurantes, o Red Ribbon Fried Chicken, grelha hambúrgueres para um terceiro, o TR Burgers and Wings, e mistura o creme de sua sorveteria, a Ice Cream Custard. Das quatro operações de Lopez, três são "restaurantes virtuais" - não há lojas físicas, nem mesas ou cadeiras. Eles existem apenas dentro de um aplicativo móvel, o Uber Eats, o serviço de entrega de refeições pertencente à Uber."A entrega costumava ser talvez um quarto do meu negócio. Agora é cerca de 75 por cento", disse Lopez, de 26 anos, no Top Round, enquanto sua equipe montava sanduíches de carne assada e de frango e os colocava em sacos de papel branco que seriem entregues pelos motoristas do Uber Eats. Aplicativos de entrega de alimentos como o Uber Eats, o DoorDash e o Grubhub estão começando a remodelar a indústria de restaurantes dos Estados Unidos, avaliada em US$ 863 bilhões. Conforme mais pessoas encomendam comida para consumir em casa, e conforme a entrega vai ficando mais rápida e mais conveniente, os aplicativos vão mudando a essência do que significa operar um restaurante.Os restaurateurs não precisam mais alugar um espaço para as mesas. Tudo de que precisam é uma cozinha - ou até mesmo apenas parte de uma. Então, basta divulgar seu serviço de entrega de refeições em um aplicativo e vender seus pratos aos clientes, sem o incômodo e a despesa de contratar garçons ou pagar por móveis e toalhas. Os clientes dos aplicativos podem nem ter ideia de que o restaurante não existe fisicamente.Essa mudança popularizou dois tipos de estabelecimentos gastronômicos digitais. Um é o restaurante virtual que faz parte de um restaurante de fato, como o Top Round de Lopez, mas que oferece cardápios diferentes especificamente para os aplicativos de entrega. O outro é a "cozinha fantasma", que não tem o estabelecimento físico e que essencialmente serve como um centro de preparo de refeições para entrega. "Pedir comida on-line não é um mal necessário. É a oportunidade mais animadora da indústria de restaurantes hoje", disse Alex Canter, que dirige o Canter?s Deli em Los Angeles e uma startup que ajuda os restaurantes a agilizar as encomendas de aplicativos de entrega em um único dispositivo. "Se não usa aplicativos de entrega, você não existe."Muitas dessas operações são novas, mas podem ter longo alcance, potencialmente favorecendo a opção de encomendas de comida em detrimento da visita a restaurantes e ao preparo de refeições caseiras.A Uber e outras companhias estão liderando a mudança. Desde 2017, a empresa de carona compartilhada já ajudou a abrir quatro mil restaurantes virtuais, como os de Lopez, que só funcionam com o aplicativo Uber Eats.Janelle Sallenave, que lidera o Uber Eats na América do Norte, disse que a empresa analisa os dados de vendas de bairros para identificar a demanda não atendida de cozinhas específicas. Em seguida, contata restaurantes que usam o aplicativo e os incentiva a criar um restaurante virtual para atender a essa demanda.No entanto, mesmo quando os aplicativos de entrega criam novos tipos de restaurantes, eles estão prejudicando alguns estabelecimentos tradicionais, que já estão às voltas com altas despesas operacionais e concorrência brutal. Os restaurantes que usam aplicativos de entrega como o Uber Eats e o Grubhub pagam comissões de 15 a 30 por cento em cada pedido. Os estabelecimentos digitais podem economizar por um lado, mas os pequenos e independentes, com margens de lucro estreitas, dificilmente podem pagar essas taxas."Há uma preocupação de que possa ser um sistema em que os proprietários de restaurantes estejam presos em um modelo de negócio instável e inadequado", disse Mark Gjonaj, presidente do comitê de pequenas empresas do Conselho da Cidade de Nova York, em uma audiência de quatro horas sobre a entrega de alimentos por terceiros em junho.Na Europa, o aplicativo de entrega de alimentos Deliveroo também começou a testar cozinhas fantasmas. Ele construiu estruturas metálicas que funcionam como cozinhas, chamadas rooboxes, em alguns locais improváveis, incluindo um estacionamento abandonado no leste de Londres. No ano passado, o Deliveroo abriu uma cozinha fantasma em um armazém em Paris, onde o Uber Eats também experimentou os espaços somente de entrega.OrigemAs cozinhas fantasmas também surgiram na China, onde os aplicativos de entrega de refeições são amplamente utilizados nas megacidades do país. A indústria chinesa de entrega de alimentos rendeu US$ 70 bilhões em encomendas no ano passado, de acordo com a iResearch, uma empresa de análise. Uma startup de cozinha fantasma chinesa, a Panda Selected, levantou recentemente US$ 50 milhões de investidores, incluindo a Tiger Global Management, de acordo com a CrunchBase.Esses estabelecimentos se multiplicaram. Ao longo dos últimos dois anos, a Family Style, uma startup de refeições em Los Angeles, abriu cozinhas fantasmas em três estados. Ela criou mais de meia dúzia de marcas de pizza com nomes como Lorenzo?s of New York, Froman?s Chicago Pizza e Gabriella?s New York Pizza, que podem ser encontradas no Uber Eats e em outros aplicativos.
[+ detalhes]
12/09/2019
Vinho fermentado no mar é um dos destaques da Wine Trade Fair 2019
Feira internacional, 100% B2B e voltada a toda cadeia produtiva da bebida adulta, reunirá consagrados vinhos no mundo, inclusive os nacionais, visando a abertura do mercado globalCom quase 30 milhões de consumidores de vinho, segundo indicadores mundiais do setor, País é uma grande janela de oportunidades para o mercado nacional e internacional. E as expectativas do segmento para 2019 são de crescimento. "A alta estimada está entre 10% e 15%, comparando com igual período do ano anterior", ressalta Zoraida Lobato, organizadora da São Paulo International Trade Fair, importante feira que acontecerá de 17 a 19 de setembro, das 14h às 20h, no Anhembi -em São Paulo-.Somado o potencial de mercado à perspectiva otimista, o evento 100% B2B e voltado a toda cadeia produtiva da bebida, tende a ser um sucesso ao apresentar o que há de melhor e mais curioso no mundo dos vinhos. Prova disso, um dos destaques da Wine Trade Fair será o vinho Habla del Mar, trazido pela importadora Hispania, que apresenta um conceito totalmente inovador e algo completamente inédito em qualquer outro vinho branco. A bebida fica imersa durante cinco meses em uma temperatura de 8ºC, em uma espécie de adega submarina, na Bahía de San Jean de Luz, na França. O vinho é submetido a uma segunda fermentação, o que rejuvenesce a bebida e oferece uma série de nuances salinas, de algas e acidez equilibrada. O trabalho é realizado por uma equipe de mergulhadores que controla todo o processo. Sua elaboração é feita a partir da mescla de uvas brancas de origem atlântica.Com essa e outras novidades trazidas pelos expositores vindos de diferentes locais do mundo e do Brasil, a Wine Trade Fair promete surpreender. O evento espera cumprir com o objetivo de promover um encontro exclusivo entre empresas e profissionais do mercado de bebidas adultas para fomento dos negócios, alavancando as vendas, gerando mais emprego e ampliando as possibilidades de negócios de ponta a ponta, de maneira que contemple desde a cadeia produtiva até a comercialização.Além de reunir expositores e personalidades de grande relevância no segmento de vinhos para network, a Wine Trade Fair realiza o maior congresso técnico e político do setor vitivinicultor do país -único com mestres e doutores nos assuntos relacionados-, assim como a Cachaça Trade Fair. Ambos acontecem simultaneamente no mesmo período no Anhembi.De acordo com a organização, em 2018 foram quase 2 mil compradores qualificados e mais de 3 mil visitantes. E a edição de 2019 da Wine Trade Fair e da Cachaça Trade Fair chegam consolidando-se como vitrines internacionais para que as empresas possam ver e serem vistas.
[+ detalhes]
11/09/2019
Com massa que é sucesso, Disk Pizza Estrela comemora 15 anos de casa cheia
Pizzaria que começou com uma portinha hoje leva gente de todos os cantos da cidade até o Bairro Coronel AntoninoA fama que leva todo mundo ao bairro Coronel Antonino surgiu das mãos de Sérgio Perotto. Foram vários testes até chegar à receita de pizza perfeita. Leve e seguindo um padrão rigoroso de qualidade, o segredo da Disk Pizza Estrela está na massa. Comemorando 15 anos de casa cheia e entrega nos bairros da região, a pizza surpreende até o paladar dos mais exigentes.Conhecida na cidade pelo tamanho, a Disk Pizza Estrela tem no seu cardápio pizzas de 4, 8, 12, 16 e até de 20 pedaços. Da brotinho com 25cm até a de 60cm, são anos e anos conquistando a freguesia pelo alto padrão."Eu me dediquei a desenvolver uma massa, não tinha pizzaiolo, eu fui fazendo e experimentando. Um dia cheguei a conclusão de que era 'aquela massa'", conta Sérgio.Uma vez aprovada por ele, pelos amigos e os familiares, todos os ingredientes foram pesados e 15 anos depois, tudo é feito seguindo a mesma receita à risca. "Ela não pesa no estômago. Você pode comer que não vai sentir indisposição por conta da qualidade do produto, é um fermento importado", acrescenta.Sabores - Os clientes começam a chegar assim que a casa acende as luzes. Tradicional e sem detalhes arquitetônicos extravagantes, o ambiente é familiar e propício para quem prefere trocar ideias com os amigos, tanto que ali, com exceção das quartas-feiras, não tem televisão ou música ambiente.São pelo menos 60 sabores a disposição do cliente. Os preferidos seguem o tradicional: Calabresa, Portuguesa, Marguerita e Frango com Catupiry. De terça, quarta e quinta, para quem pede de 12 pedaços acima, leva para casa, de brinde, uma pizza brotinho doce. O recheio varia conforme a semana, mas pode ser banana com mel, doce de leite, chocolate ou brigadeiro. *promoção válida para o delivery. Com o tempo, surgiram as receitas exclusivas, como a "Carioca", batizada em homenagem a irmã de Sérgio, que vive no Rio de Janeiro e estava de visita na época da criação do recheio com molho de tomate, mussarela, palmito, champignon, bacon e provolone. Outra que só se encontra na Pizzaria Estrela é a "Pizzaiolo", com molho de tomate, mussarela, peito de frango, bacon, calabresa, champignon, palmito, requeijão cremoso e cebola.Para trabalhar na pizzaria, tem que ser igual ao dono, e fazer pizza do jeitinho que ele criou. A última funcionária só ficou 'apta' a preparar a massa quando completou quatro anos de aprendizagem ao lado de Sérgio. "Minha pizza é padrão. Por isso, tem qualidade! Se você vier hoje, amanhã e voltar, é o mesmo padrão", explica.Como tudo é pesado rigorosamente, até as fatias de queijo têm sua espessura correta. É dali que o dono tira a média que tanto o orgulha. "Eu comecei pequeno, com uma portinha e vendendo quatro pizzas por noite. Hoje são 80 por dia", comemora.Os valores são acessíveis e começam em R$ 20,00 para as pizzas brotinho. A mais cara da casa é a de 20 pedaços, por R$ 150,00. Para opção a la carte, o salão comporta muito bem até 150 pessoas e com direito a cama elástica para as crianças e música ao vivo às sextas, com MPB.Se manter aberto, em bairro, durante 15 anos já é motivo para celebrar. No entanto, é movido pela retribuição dos 19 mil clientes cadastrados que seu Sérgio quer agradecer."Eu só tenho a dizer um muito obrigado. Tem gente que está comigo desde o começo. Já entreguei até em fazenda a 30 quilômetros daqui e tem família que vem de outras cidades para jantar", comenta. A Pizzaria Estrela funciona de terça a domingo, das 18h às 22h30 , só no sistema a la carte. O prédio fica na Rua Santa Catarina, 36, no Coronel Antonino. O delivery atende pelo telefone 3352-6262, 3026-0681 e WhatsApp: 99218-4808. Chame agora mesmo!
[+ detalhes]
11/09/2019
Edição especial 88 Old Cesar para comemorar o Dia da Cachaça
A tradicional bebida que é paixão nacional ganha novo rótulo premium, autoadesivo e visual mais modernoNa próxima sexta-feira, 13 de setembro é Dia Nacional da Cachaça. E a 88 Old Cesar, aguardente de cana com composto de carvalho da CRS Brands, não vai ficar de fora das comemorações.A marca, no mercado há mais de 40 anos, acaba de ganhar uma edição especial, com novo rótulo premium, autoadesivo e visual mais moderno, para garantir ainda mais destaque nas gôndolas dos supermercados e prateleiras dos bares de todo o país. A bebida, no entanto, mantém o mesmo sabor amadeirado e marcante que tem conquistado a preferência dos apreciadores da bebida.Seja no bar, no futebol ou no churrasco, a 88 Old Cesar também vai bem com pratos típicos da culinária brasileira e ainda é o ingrediente principal da famosa caipirinha e de outros drinques consumidos em todo o país, e até no exterior.Ficha técnicaGarrafa: Owens-Illinois do BrasilDesign do rótulo: Benchmark Design TotalImpressão: CCL BrasilCRS BRANDS desde 1926A empresa, que se destaca entre as mais expressivas indústrias brasileiras de bebidas alcoólicas da América Latina, é também detentora de diversas marcas. Além da Sidra e Frizée Cereser e dos tradicionais vinhos Dom Bosco e Massimiliano, a empresa produz a Chuva de Prata, o vermouth Cortezano, vodkas Kadov e Roskoff, aguardente 88, aperitivo com malte whisky Chanceler, e os espumantes Georges Aubert. Seus produtos são exportados para mais de 40 países na América Latina, África e Ásia. Saiba mais em www.crsbrands.com.br
[+ detalhes]
11/09/2019
Régua de drinks é a tendência refrescante para a seca de Brasília
Bar Godofredo conta com tábuas de drinks e chopes para reunir os amigos e passar bons momentosA régua de drinks, também conhecida como tábua de degustação ou sampler, caiu no gosto dos brasilienses. Ideal para degustar várias bebidas, pode armazenar até cinco copos, de vários sabores e estilos, e é a pedida certeira com um ótimo custo-benefício. Quem vai ao restaurante, encontra opções com cervejas e diferentes drinks, perfeito para aproveitar a noite e aliviar o calor de Brasília.Para degustar diferentes tipos, a régua que vem com cinco bebidas é ideal. A R$ 59,90, é composta por gin tônica de pepino, aperol spritz, pina colada, kir royal e margarita. Para beber somente marguerita, refrescante bebida de origem mexicana, a régua com cinco drinks sai a R$ 29,90.A clássica gin tônica também não poderia ficar de fora e conta com rótulo nacional (R$39,90) ou as opções importadas: Bosford (R$49,90), Tanqueray (R$ 69,90) e Bombay (R$ 64,90). E claro, não poderia faltar uma régua com chopes. A casa é reconhecida pelas cervejas artesanais e possui mais de 150 rótulos e 21 torneiras, com lançamentos semanais. A tábua de degustação conta com cinco tipos de cervejas e é atualizada toda semana com as novidades.
[+ detalhes]
Ver todos

Telefone:

+55 11 5524-6931

Newsletter:

Fique conectado:

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001
script>